Busca avançada
Ano de início
Entree

Detecção e consequências de desequilíbrios no genoma humano

Processo: 18/08890-9
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de outubro de 2018 - 30 de setembro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Humana e Médica
Pesquisador responsável:Társis Antônio Paiva Vieira
Beneficiário:Társis Antônio Paiva Vieira
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Médicas (FCM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Pesq. associados:Vera Lúcia Gil da Silva Lopes
Assunto(s):Genoma humano  Variação estrutural do genoma  Sequenciamento completo do exoma  Mutação  Fenótipo  Predisposição genética para doença 

Resumo

Os desequilíbrios genômicos (DGs) são uma forma importante de variação no genoma humano. Muitos deles estão relacionados a doenças e são a causa do fenótipo em parte significativa (10 - 20%) dos indivíduos com anomalias congênitas múltiplas (ACM) e (ou) deficiência intelectual (DI)/ atraso no desenvolvimento neuropsicomotor (ADNPM). Atualmente, a técnica de análise cromossômica por microarray (CMA) é utilizada como primeiro teste diagnóstico nesses indivíduos. Entretanto, trabalhos recentes têm sugerido que o sequenciamento do exoma (WES) poderia substituir o CMA como primeiro teste diagnóstico, com a vantagem de que este último poderia identificar tanto mutações gênicas como DGs, com os dados de um único experimento. Porém, até o momento, há poucos estudos com grupos de pacientes e ainda não há um consenso se a análise de DGs em dados de WES realmente pode substituir a CMA. Por outro lado, um desafio constante na interpretação dos DGs identificados por CMA em indivíduos com ACM e (ou) DI/ ADNPM é a identificação de variantes de significado incerto (VUS). Recentemente, sugeriu-se que o WES seria essencial para a conclusão diagnóstica nestes casos. Deste modo, os objetivos deste projeto são: realizar o sequenciamento do exoma e investigar mutações gênicas relacionadas ao fenótipo em indivíduos com ACM e (ou) ADNPM/ DI, com VUS detectadas previamente por CMA; e identificar as alterações encontradas pela técnica de CMA, através da análise de DGs em dados de exoma, neste mesmo grupo de indivíduos. Serão selecionados 50 indivíduos com ACM e (ou) DI/ ADNPM com VUS detectadas previamente por CMA. Será realizado o sequenciamento do exoma e posteriormente duas análises distintas: investigação de mutações gênicas relacionadas ao fenótipo e investigação de DGs nos dados do sequenciamento do exoma. (AU)