Busca avançada
Ano de início
Entree

Estrutura microgeográfica populacional de Culex quinquefasciatus (Diptera: Culicidae) de Paulo, Brasil

Processo: 18/17358-9
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Artigo
Vigência: 01 de outubro de 2018 - 31 de março de 2019
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Parasitologia - Entomologia e Malacologia de Parasitos e Vetores
Pesquisador responsável:Mauro Toledo Marrelli
Beneficiário:Mauro Toledo Marrelli
Instituição-sede: Faculdade de Saúde Pública (FSP). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Genética populacional  Entomologia médica  Dinâmica de populações  Culex quinquefasciatus  Entomologia urbana  Repetições de microssatélites 

Resumo

O contínuo aumento mundial da urbanização pode potencialmente ter um grande impacto na epidemiologia de doenças transmitidas por vectores, uma vez que as mudanças de alterações no ambiente são conhecidas por favorecer algumas espécies de mosquitos que podem prosperar em ambientes urbanos. Culex quinquefasciatus (Diptera: Culicidae) é encontrado extensivamente em habitats urbanos, onde vive em áreas degradadas, poluídas e é muitas vezes a única espécie de mosquito capaz de sobreviver em tais condições. As estratégias tradicionais de controle do mosquito já não têm o efeito desejado devido a vários fatores como a resistência ao inseticida, a abundância de locais de reprodução, a falta saneamento adequado, e ausência de predador natural, levando as populações Cx. quinquefasciatus a aumentar números nas cidades. Nesteestudo, cinco populações de Cx. quinquefasciatus foram analisadas com 12 marcadores de microssatélites para investigar se a dinâmica dessas populações está sendo modulada pela urbanização e como elas são estruturadas na cidade de São Paulo, Brasil. Nossos resultados indicam que apenas uma das populações de estudo (a população do Parque Anhanguera) exibiu evidência de expansão. As populações do Parque do Ibirapuera e do Parque Piqueri, de regiões mais urbanizadasdas áreas estudadas, não mostraram sinais de expansão. Uma melhor compreensão dos mecanismos envolvidos no dispersão de Cx. quinquefasciatus e sua colonização de novas áreas, bem como os padrões demográficos das espécies e como estes estão associados com a urbanização, particularmente em áreas submetidas a uma transformação rural-urbana, como o Parque Anhanguera, é de grande importância para o controle de mosquitos. (AU)