Busca avançada
Ano de início
Entree

Vesículas extracelulares: decodificando uma nova linguagem para comunicação celular no desenvolvimento embrionário inicial

Resumo

A massa celular interna do blastocisto (ICM) que dá origem a um embrião completo in vivo pode ser derivada e cultivada in vitro como células tronco embrionárias (CTEs), que retêm o potencial de desenvolvimento completo. As células da MCI recebem, de diversas fontes, sinais moleculares e espaço-temporais complexos que orquestram processos associados com a embriogênese. Essas instruções vêm, continuamente, de si mesmas e das células vizinhas, como as presentes no trofectoderma e no endoderma primitivo (PrE). Um componente chave do nicho da ICM são as vesículas extracelulares (EVs), produzidas por diferentes tipos de células, que transportam e transferem moléculas-chave que regulam as células-alvo e modulam a renovação celular ou o destino das células. Um número crescente de estudos demonstrou que a circulação extracelular de morfógenos, um grupo de reguladores clássicos do desenvolvimento embrionário, é realizada por VEs. Os miRNAs também são uma carga importante dos EVs que foram implicados na morfogênese tecidual e ganharam atenção especial devido a sua capacidade de regular a expressão de proteínas através da modulação pós-transcricional, influenciando assim o fenótipo celular. Esta revisão explora a evidência emergente que apóia o papel dos VEs como um modo adicional de comunicação intercelular na diferenciação embrionária precoce e CTEs. (AU)