Busca avançada
Ano de início
Entree

A estimativa do erro na definição das medidas de risco e retorno na moderna teoria do portfólio (MPT): uma análise utilizando projeto de experimentos de misturas

Processo: 17/09683-4
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de novembro de 2018 - 31 de outubro de 2019
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia de Produção - Engenharia Econômica
Pesquisador responsável:Francisco Alexandre de Oliveira
Beneficiário:Francisco Alexandre de Oliveira
Instituição-sede: Faculdade de Engenharia (FEG). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Guaratinguetá. Guaratinguetá , SP, Brasil
Assunto(s):Otimização multiobjetivo  Alocação de recursos  Teoria moderna do portfólio 

Resumo

A teoria de alocação de recursos, proposta por Markowitz (1952) tem sido amplamente investigada ao redor do mundo. Inicialmente foi proposta para alocação de recursos em ativos financeiros. Atualmente, o modelo evoluiu, da otimização com a variância como função objetivo, para a otimização multi-objetivo. Deste modo, é possível maximizar o retorno ao mesmo tempo em que minimiza o risco. Esta abordagem é amplamente utilizada em diversas aplicações práticas, desde comercialização de commodities como decisões de investimentos dentro de uma corporação. No entanto, o modelo é em geral tratado de forma determinística, no qual a solução obtida é única. Os erros de estimação dos parâmetros que definem o comportamento dos retornos financeiros podem afetar significativamente o desempenho do portfólio encontrado. A pesquisa proposta neste projeto consiste em estudar o comportamento e otimização de portfólios baseado na técnica conhecida como Planejamento de Experimentos em modelos específicos de Arranjo de Misturas. Desta forma, é possível obter um modelo econométrico do comportamento das variáveis de interesse de um portfólio, i.e., retorno e risco. Através desse modelo econométrico é possível, então, estimar a fronteira eficiente, que define o melhor trade-off entre risco e retorno, considerando um grau de confiança desejado. Dessa forma, o analista poderá otimizar a alocação de recursos e realizar inferências estatística nos resultados obtidos, auxiliando a tomada de decisão. (AU)