Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação acaricida de derivados naturais de Achyrocline satureioides e de Schinus lentiscifolius em associação com produtos biotecnológicos obtidos de fungos entomopatogênicos sobre o carrapato bovino Rhipicephalus (Boophilus) microplus

Processo: 18/14116-4
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de novembro de 2018 - 31 de outubro de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Farmácia
Pesquisador responsável:Rosemeire Cristina Linhari Rodrigues Pietro
Beneficiário:Rosemeire Cristina Linhari Rodrigues Pietro
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCFAR). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara , SP, Brasil
Assunto(s):Quitinase 

Resumo

Apesar da importância social e comercial da bovinocultura, infestações por ectoparasitas, como pelo carrapato Rhipicephalus (Boophilus) microplus apresentam-se como um grande empecilho econômico. O controle atualmente é realizado por meio de carrapaticidas sintéticos e o seu uso indiscriminado tem contribuído para o surgimento da resistência dos parasitas à maioria das moléculas disponíveis. Assim, alternativas efetivas, economicamente viáveis e potencialmente seguras devem ser investigadas, como o uso de derivados naturais associados a fungos entomopatogênicos. Esse projeto faz parte do doutorado de Rafaela Regina Fantatto e tem como objetivo avaliar extrativos vegetais de Achyrocline satureioides e Schinus lentiscifolius associados ao fungo entomopatogênico Beauveria bassiana, bem como à enzima quitinase por ele produzida, sobre diferentes estágios do ciclo de vida do carrapato bovino R.(B.) microplus. Os extratos vegetais serão caracterizados fitoquimicamente através de técnicas espectrométricas e de cromatografia líquida. A quitinase será produzida por B. bassiana em fermentação liquida submersa. A atividade carrapaticida dos extratos vegetais, do fungo, da quitinase e associações dos mesmos será analisada por testes in vitro tais como o teste de imersão de fêmeas ingurgitadas, teste de contato em papel impregnado e teste de imersão de larvas. Ensaios preliminares mostraram que extratos etanólicos brutos de A. satureioides e S. lentiscifolius não inibem B. bassiana na concentração de 1,25 mg/mL, sendo um resultado promissor que permite os testes em associação propostos neste projeto. (AU)