Busca avançada
Ano de início
Entree

Uso de sistemas de liberação de fármacos para o desenvolvimento e aplicabilidade de agentes anti-inflamatórios com potencial efeito imunomodulador e neuroprotetor

Processo: 17/22334-9
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Temático
Vigência: 01 de novembro de 2018 - 31 de outubro de 2023
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Farmacologia Bioquímica e Molecular
Pesquisador responsável:Marcelo Henrique Napimoga
Beneficiário:Marcelo Henrique Napimoga
Instituição-sede: Sociedade Regional de Ensino e Saúde S/S Ltda (SRES). Faculdade São Leopoldo Mandic (SLMANDIC). Centro de Pesquisas Odontológicas São Leopoldo Mandic
Pesquisadores principais:Juliana Trindade Clemente Napimoga
Pesq. associados:Cristina Gomes de Macedo Maganin ; Daniele Ribeiro de Araujo ; Leonardo Fernandes Fraceto ; Nathalie Ferreira Silva de Melo ; Waldiceu Aparecido Verri Junior
Assunto(s):Artrite  Inflamação  Nanopartículas  Sistemas de liberação de medicamentos  Fármacos neuroprotetores  Anti-inflamatórios 

Resumo

Este projeto tem como proposta utilizar dois sistemas de liberação de fármacos, as nanopartículas poliméricas e o patch de microagulhas revestíveis, para o desenvolvimento e aplicabilidade de duas formulações com potencial efeito imunomodulador e neuroprotetor. O ácido epóxi-eicosatrienóico (EET) é produto do metabolismo do ácido araquidônico catalisada por epoxigenases do citocromo P450. Estas pequenas moléculas são mediadores lipídicos as quais tem sido demonstrada ser uma nova estratégia terapêutica para patologias inflamatórias. O desenvolvimento de inibidores metabolicamente estáveis de sEH, como o TPPU (1-trifluoromethoxyphenyl-3-(1-propionylpiperidin-4-yl)), o qual foi desenvolvido e patenteado pelo Dr. Bruce Hammock (colaborador internacional deste projeto), faz com que os níveis de EET nos tecidos permaneçam elevados por um elevado tempo mediando ações resolutivas importantes da cascata inflamatória. A primeira fase deste projeto propõe investigar o potencial efeito imunomodular e neuroprotetor do TPPU em animais em condições artríticas degenerativas, assim como os mecanismos neuroquímicos envolvidos neste processo. Na sequência, com o objetivo de potencializar as propriedades terapêuticas do TPPU e viabilizar sua liberação de forma mais eficiente nos tecidos-alvo, a segunda fase deste projeto será o desenvolvimento de uma formulação nanoestruturada contendo TPPU. Com o intuito de buscar métodos mais efetivos e menos invasivos para aplicação de fármacos para modulação de condições de dor inflamatória, a última fase deste projeto será avaliar se o uso de um patch com microagulhas revestíveis com fármacos, desenvolvida pelo Dr. Harvinder S. Gill (colaborador internacional deste projeto), tem uma aplicabilidade clínica real para o controle da inflamação e da dor de articulações, especificamente da Articulação Temporomandibular (ATM). Para isto, pacientes com disfunção temporomandibular serão tratados com microagulhas revestidas com tramadol, considerando dados recentes onde foi demonstrado seu potente efeito anti-inflamatório quando aplicado diretamente nos tecidos periarticulares. O desenvolvimento deste estudo clínico tem como propósito estabelecer uma nova estratégia clínica para o controle da dor inflamatória, de forma menos invasiva e mais efetiva, para condições inflamatórias articulares. Em suma, este projeto busca o desenvolvimento de produtos com inovação tecnológica com viabilidade clínica real. Como perspectivas futuras, baseado nos resultados experimentais obtidos, vislumbra-se a potencial associação de microagulhas revestidas com uma formulação nanoestruturada de TPPU, um novo produto patenteável; e considerando o fato de que os inibidores da sEH já foram testados em 05 ordens de animais diferentes, o planejamento de ensaios pré-clínicos e clínicos de microagulhas revestidas com TPPU como próximo passo. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.