Busca avançada
Ano de início
Entree

miRNA 21 e miRNA148a na regulação da reposta imunológica de leucócitos esplênicos na Leishmaniose Visceral Canina

Processo: 18/17261-5
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de novembro de 2018 - 31 de janeiro de 2021
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunologia Aplicada
Pesquisador responsável:Valéria Marçal Felix de Lima
Beneficiário:Valéria Marçal Felix de Lima
Instituição-sede: Faculdade de Medicina Veterinária (FMVA). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araçatuba. Araçatuba , SP, Brasil
Pesq. associados:Flavia Lombardi Lopes
Assunto(s):Carga parasitária  Cães  Leishmaniose visceral  Interleucina-10 

Resumo

A Leishmaniose Visceral (LV) no homem é uma doença crônica e frequentemente fatal se não tratada. Segundo a Secretária de Vigilância Epidemiológica do Estado de São Paulo, a doença está em expansão com alta taxa de mortalidade, sendo que a região de Araçatuba concentra grande número de casos no estado. A Leishmaniose Visceral Canina (LVC) constitui um grave problema de Saúde Pública, pois os animais infectados são potentes transmissores do parasito para humanos pelo vetor flebotomínio, e a doença canina é mais prevalente que a doença humana e normalmente os casos caninos precedem os casos humanos. O cão é, portanto, um alvo importante nas medidas de controle. A progressão da infecção canina é acompanhada por falha na imunidade celular com redução de linfócitos circulantes e citocinas que suprimem a função dos macrófagos. A função da célula T na indução da resposta celular é determinante para a eliminação do parasita no interior dos macrófagos. Embora a supressão imunológica já esteja caracterizada, os fatores determinantes são pouco conhecidos. Na última década estudos mostraram que a regulação da função efetora dos macrófagos e células T parece depender de miRNAs. Existem muitas evidências da função dos miRNAs na regulação da expressão de proteínas que são fundamentais para o desenvolvimento, função e diferenciação de vários tipos celulares do sistema imunológico. O miRNA 21e e miRNA 148a tem sua expressão aumentada em leucócitos esplênicos de cães com LV e possui como alvo diversas proteínas relacionadas à resposta imune. Serão utilizadas ferramentas moleculares para aumentar ou diminuir miR21 e miR 148a e a expressão das proteínas alvos para esses miRNAs será avaliada: FAS, FASL, TNF, CD69, CCR7, IL-12 e TGF-beta, CD80 e iNOS. Nossos resultados irão melhorar a nossa compreensão da patogênese da LV no hospedeiro, e como tal, revelar novos caminhos que possam constituir alvos terapêuticos. (AU)