Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudos do Aquífero aluvionar na planície do rio Atibaia, Campinas, Brasil - ecossistema dependente de água subterrânea (EDA) e a presença de contaminantes emergentes (fármacos e gadolínio) em áreas sem saneamento básico

Resumo

Este projeto contempla um estudo de água subterrânea em aquífero aluvionar que apresenta registros que evidenciam a história da dinâmica fluvial, do ambiente subaquático com a ocorrência de inundações periódicas na planície e recarga (pelas chuvas ou águas subsuperficiais). A presente proposta visa estudar as águas subterrâneas dessas planícies, identificando suas feições características e entender os ambientes subaquáticos e suas interrelações. A planície aluvial do rio Atibaia situa-se em Barão Geraldo, na porção periurbana de Campinas (SP), onde ainda não existe rede de saneamento básico. A situação das obras de captações e das fossas e de seus impactos na qualidade das águas também serão avaliadas, em duas situações sazonais bem distintas. Os estudos pedológicos, sedimentológicos, hidrodinâmicos, hidroquimicos e isotópicos contribuirão para o melhor entendimento das águas subterrâneas em planícies aluvionares como também suas condições de recarga e descarga dos aquíferos rasos. O projeto inclui a determinação das concentrações de elementos terras raras dissolvidos na água subterrânea com o objetivo de ampliar o conhecimento da processo de interação entre água e rocha hospedeira e também verificar a presença de gadolínio antrópico, um poluente micro emergente oriundo do uso como contraste em medicina diagnóstica. A investigação da presença de fármacos (omeprazol e cloridrato de metformina), objetiva verificar a influência de esgotos domésticos (provenientes de fossas) nas áreas de saneamento in situ. O desenvolvimento de método de análises de fármacos em água subterrânea é inédita no país e contribuirá para o entendimento das atividades e processos que atuam na água subterrânea e a relação poços domésticos e fossas. (AU)