Busca avançada
Ano de início
Entree

Dispersão de Lutzomyia longipalpis e expansão da leishmaniose visceral no Estado de São Paulo: identificação de fatores associados por meio de análise de sobrevida

Processo: 18/18672-9
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Artigo
Vigência: 01 de novembro de 2018 - 30 de abril de 2019
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Saúde Coletiva - Epidemiologia
Pesquisador responsável:Francisco Chiaravalloti Neto
Beneficiário:Francisco Chiaravalloti Neto
Instituição-sede: Faculdade de Saúde Pública (FSP). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Doenças negligenciadas  Brasil 

Resumo

Introdução: A leishmaniose visceral (LV) é um sério problema de saúde pública em função de sua magnitude, expansão geográfica e danos potenciais que podem ser causados pelo agravo, incluindo a ocorrência de óbitos. Entretanto, LV é amplamente ignorada na discussão sobre prioridades entre as doenças tropicais. Assim, este estudo teve como objetivos identificar fatores associados com a expansão da LV e a dispersão de seu vetor, Lutzomyia longipalpis, nos municípios do estado de São Paulo, Brasil. Métodos: Foram obtidas informações sobre as datas de detecção do vetor e de confirmação da ocorrência autóctone de LV em humanos e caninos no período de 1997 a 2014. Curvas de sobrevida foram obtidas pelo método de Kaplan-Meier e realizada modelagem por regressão múltipla de Cox. Resultados: A presença da rodovia Marechal Rondon foi o fator que mais positivamente associou-se com a dispersão do vetor e com a expansão da LV humana e canina. As médias das temperaturas máximas e mínimas mensais registradas nos municípios no período de estudo também se associaram positivamente com estes eventos. A presença de rodovias transversais foi positivamente associada com a presença do vetor; a divisa com o estado do Mato Grosso do Sul, a presença de prisão, ser sede de microrregião e a presença do Rio Tietê em determinado município foram positivamente associados com a ocorrência de casos caninos. Entretanto, entre estes fatores, somente a presença de prisão foi associada positivamente com a ocorrência de casos humanos. A construção do gasoduto Bolívia-Brasil não se associou com a expansão do vetor ou com a dispersão da LV humana e canina. Conclusões: O uso da técnica de análise de sobrevida possibilitou a identificação de fatores associados com a dispersão do vetor e a expansão da LV. Deste modo, os resultados deste estudo podem ser úteis para o aprimoramento das atividades de vigilância epidemiológica e controle da LV no estado de São Paulo e em todo o Brasil. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.