Busca avançada
Ano de início
Entree

Superconcentrados de microalgas viáveis obtidos por ultrafiltração tangencial: estratégias de estocagem para uso na aquicultura

Processo: 17/22751-9
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas - PIPE
Vigência: 01 de dezembro de 2018 - 31 de agosto de 2019
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Recursos Pesqueiros e Engenharia de Pesca - Aquicultura
Pesquisador responsável:Fernando Takashi Kanemoto
Beneficiário:Fernando Takashi Kanemoto
Empresa:Fernando Takashi Kanemoto
CNAE: Aqüicultura em água salgada e salobra
Aqüicultura em água doce
Município: São Paulo
Pesquisadores principais:Naira Juliana da Silva
Pesq. associados: Flávia Marisa Prado Saldanha-Corrêa
Bolsa(s) vinculada(s):18/25338-8 - Superconcentrados de microalgas viáveis obtidos por ultrafiltração tangencial: estratégias de estocagem para uso na Aquicultura, BP.PIPE
Assunto(s):Aquicultura marinha  Sobrevivência celular  Ração concentrada  Microalgas  Ultrafiltração 

Resumo

As microalgas são determinantes na fase de larvicultura de organismos marinhos, sendo aplicadas na alimentação direta e indireta de estágios larvais. Esta atividade representa o setor de maior volume em larviculturas e cerca de 30% dos custos da operação. Para suprir essa demanda os empreendimentos aquícolas marinhos brasileiros podem: (i) Realizar a produção on-site, implicando em grande investimento e infra-estrutura, elevado custo de operação, variabilidade em qualidade e volume de cultivos, bem como desequilíbrio entre produção e demanda, ocasionando carência ou desperdício de biomassa; (ii) Complementar ou substituir a produção on-site por pastas de microalgas inertes congeladas, cuja aquisição depende exclusivamente da importação. Tendo em vista as opções atuais, a aquisição de culturas de microalgas viáveis superconcentradas e facilmente estocáveis sob refrigeração pode ser uma solução para uso conforme demanda. Deste modo, o tempo despendido, assim como os riscos e custos inerentes às tradicionais fases de cepário e estágios de escalonamento podem ser substancialmente reduzidos. Em paralelo, mercados como o de aquariofilia marinha, de rações para organismos marinhos e de produtos nutracêuticos demonstram um interesse crescente pela biomassa de microalgas, acentuando a necessidade de desenvolvimento de pacotes tecnológicos nacionais. Portanto, o presente projeto propõe o estudo da viabilidade de estocagem de superconcentrados de microalgas marinhas viáveis, produzidos por ultrafiltração tangencial, sob diferentes períodos de tempo e condições de armazenamento. Os produtos esperados poderão ser acondicionados com praticidade e utilizados conforme demanda em estabelecimentos de larvicultura e de aquariofilia, principais mercados pautados nesta fase. (AU)