Busca avançada
Ano de início
Entree

Impacto do treinamento muscular inspiratório e do envelhecimento no mapeamento metabólico e modulação autonômica em repouso e nas respostas cardiovasculares, respiratórias e metabólicas ao exercício físico em homens saudáveis

Processo: 16/22215-7
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Temático
Vigência: 01 de outubro de 2018 - 30 de setembro de 2023
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Pesquisador responsável:Aparecida Maria Catai
Beneficiário:Aparecida Maria Catai
Instituição-sede: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos, SP, Brasil
Pesquisadores principais:Antonio Gilberto Ferreira ; Regina Vincenzi Oliveira
Pesq. associados: Alberto Porta ; Heloisa Sobreiro Selistre de Araújo ; Renato Lajarim Carneiro ; Tiago Venancio
Bolsa(s) vinculada(s):18/25519-2 - Análise das respostas de oxigenação muscular inspiratória a realização da manobra de pressão inspiratória máxima em homens saudáveis, BP.IC
18/25082-3 - Estudo do perfil metabólico no envelhecimento ativo e sedentário: abordagem metabolômica, BP.DD
Assunto(s):Exercício físico  Fisioterapia  Ressonância magnética nuclear  Músculos respiratórios 

Resumo

Introdução: O treinamento muscular inspiratório (TMI) tem trazido benefícios para diversos sistemas do organismo e principalmente para a melhora do desempenho físico. Contudo, não há consenso em relação às intensidades aplicadas no TMI, bem como sobre as vias metabólicas envolvidas, uma vez que essas sofrem ação do processo de envelhecimento e poderiam ser atenuadas pela prática de exercício físico (envelhecimento saudável). O presente projeto é composto por dois estudos. Objetivos: O Estudo 1 tem como objetivo avaliar o efeito do TMI utilizando a pressão respiratória crítica (GPThC) em comparação ao grupo 60% da PIMÁX (G60) e ao Sham (GS), na melhora do desempenho físico avaliadas durante o teste cardiopulmonar (TECP), bem como das respostas cardiorrespiratórias e metabólicas (oxigenação muscular) durante TECP e testes de resistência muscular inspiratória, em ciclistas recreacionais. Ainda, identificar as vias metabólicas ativadas, por abordagem metabolômica (fingerprint), e a modulação autonômica cardiovascular em repouso após 11 semanas de TMI. O Estudo 2 tem como objetivo caracterizar as alterações metabólicas (estudo do metaboloma) do envelhecimento ativo e não ativo de homens de 20-70 anos. Métodos: No Estudo 1 serão avaliados trinta ciclistas recreacionais homens (20-40 anos) que realizarão: coleta sanguínea, TECP, protocolo de determinação da PThC, avaliação autonômica cardiovascular em repouso; além de 11 semanas de TMI. No Estudo 2 serão submetidos ao protocolo experimental cento e dez homens (55 fisicamente ativos), aparentemente saudáveis (20-70 anos), divididos em décadas, que realizarão as mesmas avaliações do Estudo 1 exceto o TMI e a determinação da PThC. Resultados Esperados: Espera-se que após o TMI, o GPThC apresente demandas cardiovasculares, respiratórias e metabólicas maiores que os G60 e GS, mostrando melhora do desempenho físico. Além disso, espera-se que os resultados advindos do estudo do metaboloma permitam esclarecer as vias metabólicas ativadas com o TMI, em ciclistas recreacionais; bem como as diferenças entre o envelhecimento ativo e não ativo. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.