Busca avançada
Ano de início
Entree

Sistemática de fungos hidnoides e corticioides (Polyporales) da Mata Atlântica brasileira

Processo: 18/20000-9
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisador Visitante - Internacional
Vigência: 11 de fevereiro de 2019 - 23 de fevereiro de 2019
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Botânica
Pesquisador responsável:Adriana de Mello Gugliotta
Beneficiário:Adriana de Mello Gugliotta
Pesquisador visitante: Mario Rajchenberg
Inst. do pesquisador visitante: Centro de Investigación y Extensión Forestal Andino Patagónico (CIEFAP), Argentina
Instituição-sede: Instituto de Botânica. Secretaria do Meio Ambiente (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Filogenia  Sistemática  Fungos  Biodiversidade  Região neotropical  Intercâmbio de pesquisadores 

Resumo

O reino Fungi é conhecido por incluir uma alta diversidade de organismos e, desde seu ancestral até as formas mais derivadas, possui a maior linhagem dentre os eucariotos. No entanto, estima-se que apenas cerca de 5% desta diversidade é conhecida, sendo que anualmente novas espécies são descritas para todas as regiões do mundo. Aproximadamente 16,000 novas espécies foram registradas no Index of Fungi entre os anos 1981 e 1990, sendo que entre 60 e 85% destas são provenientes de regiões tropicais. O conhecimento destes organismos na região Neotropical é ainda mais escasso e, por consequência, a identidade taxonômica e o posicionamento filogenético de muitas espécies neotropicais são pouco conhecidos.A classe Agaricomycetes Doweld engloba grande parte dos fungos macroscópicos, incluindo diversas ordens, sendo Polyporales Gäum uma das mais diversas. A ordem Polyporales inclui espécies poroides (himenóforo formado por tubos), hidnoides (himenóforo formado por dentes) e corticioides (himenóforo liso), além de outras formas intermediárias. Apesar dos avanços na taxonomia das espécies poroides incluídas em Polyporales e de um incremento considerável das publicações nas áreas neotropicais no último século, particularmente no Brasil, pouquíssimos estudos se focaram nas espécies hidnoides e corticioides, e portanto sua diversidade ainda é muito pouco conhecida, principalmente na Mata Atlântica Brasileira, uma das regiões biologicamente mais ricas e ameaçadas do planeta.Por estes motivos, propõe-se o presente projeto, que integra os estudos atualmente realizados no Laboratório de Basidiomycota, no Núcleo de Pesquisa em Micologia do Instituto de Botânica (NPM/IBt), através de projetos financiados pela FAPESP e pela CAPES. A visita e participação do experiente pesquisador Dr. Mario Rajchenberg (CIEFAP, Argentina) seria de grande importância no auxílio da identificação das espécies hidnoides e corticioides coletadas no sul e sudeste da Mata Atlântica Brasileira, na certificação das coleções do herbário SP relacionadas com os projetos e na discussão das características taxonômicas úteis para circunscrição de gêneros e espécies. Para tal, serão estudados materiais previamente coletados e outros a serem coletados durante a visita juntamente com o Dr. Rajchenberg em Unidades de Conservação do estado de São Paulo. Além da análise morfológica (macro e microscópica) das espécies, cultivos dos espécimes coletados e de outros já disponíveis serão estudados com a finalidade de fornecer mais informações para a caracterização das espécies e ampliar o acervo da Coleção de Culturas de Algas, Cianobactérias e Fungos (CCIBt) do Instituto de Botânica, com culturas caracterizadas e qualificadas. O Dr. Rajchenberg também irá auxiliar na interpretação das análises filogenéticas, participará como avaliador em uma defesa de doutorado, além de apresentar uma palestra sobre fungos degradadores de madeira e patologias florestas na região da Patagônia. Desta forma, este projeto será inédito na compreensão morfológica e filogenética dos fungos hidnoides e corticioides do clados phlebioide e residual poliporoide no Brasil. Além disso, a visita do Dr. Rajchenberg também contribuirá para o fortalecimento de acordos de colaboração entre as instituições envolvidas (Insituto de Botância/Brasil e CIEFAP/Argentina) e facilitará a elaboração e finalização de manuscritos já em desenvolvimento, assim como futuras publicações. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.