Busca avançada
Ano de início
Entree

Global early adolescent study (GEAS): estudo das normas e comportamentos de gênero entre adolescentes muito jovens no Brasil

Processo: 17/23177-4
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de dezembro de 2018 - 30 de novembro de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Saúde Coletiva - Saúde Pública
Pesquisador responsável:Ana Luiza Vilela Borges
Beneficiário:Ana Luiza Vilela Borges
Instituição-sede: Escola de Enfermagem (EE). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados:Christiane Borges Do Nascimento Chofakian ; Cristiane da Silva Cabral ; Ivan França Junior
Assunto(s):Saúde reprodutiva  Saúde sexual e reprodutiva  Saúde do adolescente  Adolescência  Gênero 

Resumo

Trata-se de um projeto de pesquisa que visa incluir o Brasil no consórcio global Global Early Adolescent Study - GEAS. Conduzido em 15 países, o GEAS contempla duas fases: a primeira, finalizada em 2016, usou metodologias mistas para desenvolver instrumentos que considerem as similaridades das normas e comportamentos de gênero entre adolescentes muito jovens (10 a 14 anos de idade) de diferentes contextos. Foi, ainda, conduzida revisão sistemática com o objetivo de explorar os elementos determinantes dos comportamentos de gênero no início da adolescência nos diversos contextos culturais. Por sua vez, a segunda fase constitui-se na condução de um estudo longitudinal com 1400 adolescentes muito jovens de regiões urbanas empobrecidas. De modo geral, o objetivo é compreender como as normas e comportamentos de gênero são aprendidos e se modificam ao longo da adolescência, e quais são seus efeitos na saúde sexual e reprodutiva do grupo. A intenção é que o Brasil faça parte do GEAS por meio da sua entrada na segunda fase do estudo, que é descrita nesta proposta. Assim, propõe-se preparar a execução do estudo longitudinal por meio da tradução dos instrumentos já validados nos demais países; adaptação dos mesmos por meio de oficinas com especialistas na área e adolescentes da mesma faixa etária; pré-testes; realização de estudo piloto; e realização da primeira onda de entrevistas, que comporá o baseline do estudo longitudinal. Demais ondas de entrevistas serão conduzidas a posteriori, mediante obtenção de recursos financeiros. Por meio da inclusão do país na segunda fase do GEAS, será possível prover evidências que subsidiem intervenções eficazes nas mudanças nas normas de gênero entre adolescentes muito jovens, de forma que possam alcançar os mais altos níveis de saúde sexual e reprodutiva no decorrer de sua trajetória rumo ao mundo adulto. (AU)