Busca avançada
Ano de início
Entree

Implantação, teste e aperfeiçoamento da ciência-cidadã para manejo e conservação nos Parques Nacionais Serras da Bocaina e Serras dos Órgãos

Processo: 18/50063-2
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de dezembro de 2018 - 30 de novembro de 2021
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia - Ecologia Aplicada
Convênio/Acordo: CNPq/ICMBio/FAPs - Pesquisa em Unidades de Conservação da Caatinga e Mata Atlântica
Pesquisador responsável:Maria de Lourdes Spazziani
Beneficiário:Maria de Lourdes Spazziani
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Ciência cidadã  Participação da comunidade  Áreas de conservação  Parques nacionais  Conservação biológica  Monitoramento ambiental 

Resumo

Pesquisa e monitoramentos de base comunitária são notáveis pela importância dos resultados relativos ao manejo de recursos naturais e conservação, além de representarem desejadas e efetivas interações entre gestores ambientais, pesquisadores e o público leigo. O objetivo deste projeto é implantar, testar e aprimorar um programa de ciência-cidadã, cuja aplicação seja possível em outras unidades de conservação do Brasil, que promova resultados aplicados à gestão dos parques, mas que também seja benéfico e estimulante aos voluntários, de forma que o programa tenha continuidade no longo tempo. A ideia é desenvolver um programa de base comunitária, capaz de gerar resultados passíveis de análises estatísticas e melhorias, que lhe atribuem eficácia e continuidade após o término de financiamento. O programa deve ser estimulante, inclusivo à população, interativo entre comunidades e funcionários, bem corro adaptável, ás variadas demandas inerentes da gestão de unidades de conservação. Tais aspectos contribuirão para que o programa tenha continuidade no longo tempo, atraindo financiamentos, mais pesquisas, pessoas de boa índole oferecendo auxílios para causas sociais e ambientais nobres, as quais receberão em troca, conhecimentos, experiências físicas e culturais. A ciência-cidadã tem sido usada corro instrumento para aumentar o conhecimento sobre os mais diversos aspectos de mundo natural, o que inclui o próprio aprimoramento da abordagem por exemplo, no que tange à quando e como empregar cidadãos-cientistas, corro delinear um delineamento estratégico, como usar para implementar tais programas de voluntariado. Como os dados coletados através do programa poderão ser usados para o manejo dos parques, a qualidade dos dados a serem gerados é primordial. Assim é fundamental testar estatisticamente, aprimorar e valorar os métodos aqui propostos, para que os resultados sejam acurados e válidos ás finalidades que se destinam proporcionando credibilidade, retenção de voluntários e aumentando as chances de continuidade de programa. Para que objetivos sejam alcançados, foram definidos três módulos de pesquisas, cujos resultados podem ser considerados corro objetivos específicos. Módulo 1. Inventário e monitoramento de fauna. Quão viável e efetivo seria um programa de monitoramento, mantido por cidadãos-cientistas, com foco em espécies indicadoras dentre aves, médios e grandes mamíferos? Modulo 2. Gestão turística e capacitação comunitária. O treinamento cios cidadãos-cientistas gera diferenças na conduta, nos níveis de satisfação e em conhecimentos aplicados à prática ecoturística? Uma avaliação comparativa entre perfis dos visitantes e dos cidadãos-cientistas. Módulo 3. Programa de capacitação em recuperação e enriqueci rento ambiental acoplado ao treinamento físico para saúde. Quais os impactos dos trabalhos ambientais acoplados ao treinamento físico (ecotreino), na satisfação, no condicionamento físico de voluntários, funcionários e em benfeitorias aos Parques? Este terceiro módulo vai testar impactos de ecotreinos na satisfação e no condicionamento físico de voluntários e funcionários, através de um programa especializado de exercícios adaptados ao trabalho rural, em duas frentes de experimentos: a) restauração ecológica; b) manutenção de trilhas. O programa será divulgado e oferecido ao público corro três módulos independentes de cursos teórico-práticos de 40 horas de capacitação em manejo de Áreas Silvestres, com focos em i) monitoramento de fauna; ii) formação de guias; iii) manutenção de trilhas e restauração ecológica, ambas acopladas ao treinamento físico para saúde. Os cursos serão gratuitos, mas os alunos deverão oferecer trabalhos voluntários corro requisito obrigatório de conclusão. Como resultado, a capacitação deverá formar cidadãos-cientistas para que sejam aptos a auxiliar em demandas práticas de parque, da cadeia produtiva de turismo, de consultorias ambientais, no que tange ao universo abordado nos cursos. Certificados de conclusão dos cursos serão fornecidos aos participantes, que tiverem presença em sala aula acima de 75% de frequência em um dos três módulos, além de pelo menos, 120 horas de trabalhos como voluntários. Sendo, 80 h no mesmo módulo, mas podendo haver 40h em outros módulos. O principal resultado será o teste e o aprimoramento de um programa de ciência-cidadã, cuja aplicação seja possível em outras unidades de conservação de Brasil (replicação), que promova resultados aplicados à gestão dos parques, mas que também seja benéfico e estimulante aos voluntários, de forma que o programa tenha continuidade no longo tempo. Associadas a este resultado estão previstas, pelo menos, quatro publicações científicas, pois cada um dos três módulos de pesquisa representa um teste de hipótese, para um artigo independente. Entretanto, informações advindas conjuntamente dos três módulos de pesquisas serão consolidadas para gerar mais um artigo, referente ao aprimoramento e valoração de programa, como um todo. Além disso, será gerado mais um produto científico, referente à análise dos perfis e preferências dos visitantes nos dois parques. Em adição dos artigos científicos acima mencionados, estão previstas três publicações de divulgação científica. Resultados de implicações diretas em ciência e tecnologia, também incluímos seguintes benefícios. A implantação de dois programas de monitoramentos de longo tempo, a serem conduzidos por cidadãos-cientistas: I) de espécies indicadoras, dentre aves, médios e grandes mamíferos: II) de manutenção e controle de riscos em trilhas. Formação de dois corpos de cidadãos-cientistas, o que poderá ampliará o alcance de pesquisas a serem conduzidas naquelas regiões. Capacitação de voluntários, técnicos dos parques, ampliando o leque de conhecimentos, a efetividade e a qualidade de serviços e a coleta de dados. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.