Busca avançada
Ano de início
Entree

Papel da diversidade microbiana na degradação de pesticidas em solos agrícolas

Processo: 18/02443-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de dezembro de 2018 - 30 de novembro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Ciência do Solo
Pesquisador responsável:Jussara Borges Regitano
Beneficiário:Jussara Borges Regitano
Instituição-sede: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Pesq. associados:Fernando Dini Andreote
Assunto(s):Microbiologia do solo  Diversidade microbiana  Ecologia microbiana 

Resumo

A diversidade microbiana do solo atua em processos essenciais para a manutenção e o funcionamento do ecossistema. Para funções globais do ecossistema, tais como a decomposição da matéria orgânica, a ciclagem de nutrientes e a assimilação de diferentes fontes de carbono, o papel da diversidade microbiana tem sido bastante estudado. No entanto, o mesmo efeito sobre funções mais específicas (degradação de pesticidas), as quais são conduzidas por grupos microbianos que possuem menor grau de redundância funcional, ainda permanece pouco esclarecida. Além disso, a biodegradação de pesticidas é convencionalmente avaliada por meio da capacidade de isolados microbianos capazes de degradar o composto alvo in vitro, embora este tipo de abordagem se limita apenas a fração cultivável dos micro-organismos. Sendo carente as abordagens que consideram o efeito da comunidade microbiana do solo em sua totalidade sobre o processo de biodegradação moléculas xenobióticas no ambiente. Portanto, o conhecimento do efeito da diversidade microbiana sobre a biodegradação desse tipo de substância pode fornecer subsídios para a mitigação do seu impacto no ambiente, bem como, tornar seu uso mais seguro. Neste contexto, a partir da modificação artificial da diversidade microbiana de solos adaptados e não-adaptados, será estudado o efeito da perda da diversidade microbiana sobre a taxa de biodegradação da atrazina, do glifosato e da sulfadiazina. A biodegradação será acompanhada por radiorespirometria (14C-CO2) e a comunidade microbiana será monitorada por sequenciamento do gene 16S rRNA. Posteriormente, serão buscados na comunidade microbiana genes associados a rota de degradação de cada uma das moléculas. Os resultados obtidos terão valorosa contribuição científica, servindo de subsídio para outras pesquisas, além de auxiliar na escolha de estratégias de mitigação de efeitos adversos decorrentes do uso desse tipo substância. (AU)