Busca avançada
Ano de início
Entree

Desgaste, tempo de vida e modo de falha de materiais restauradores processados por sistema CAD-CAM

Processo: 18/13981-3
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de dezembro de 2018 - 30 de novembro de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Materiais Odontológicos
Convênio/Acordo: University of Manchester
Proposta de Mobilidade: SPRINT - Projetos de pesquisa - Mobilidade
Pesquisador responsável:Paulo Francisco Cesar
Beneficiário:Paulo Francisco Cesar
Pesq. responsável no exterior: Nikolaos Silikas
Instituição no exterior: University of Manchester, Inglaterra
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia (FO). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:17/11913-8 - Caracterização mecânica e biológica do compósito Y:TZP/TiO2 em função do teor de titânia e do tipo de superfície, AP.R
Assunto(s):Materiais restauradores do canal radicular  Porcelana dentária  Vitrocerâmica  Desgaste dos materiais  Prótese dentária  Fadiga dos materiais  CAD/CAM  Cooperação internacional 

Resumo

Objetivos: Investigar quatro materiais CAD-CAM, dois compósito e duas vitrocerâmicas com respeito a: (1) o efeito do desgaste por um simulador de mastigação na perda de volume e rugosidade superficial; (2) o comportamento à fadiga de espécimes em forma de disco processados pela tecnologia CAD-CAM, antes e depois da geração de defeitos de superfície clinicamente relevantes por meio de um teste de desgaste em um simulador de mastigação; e (3) Comparar o comportamento de fadiga das coroas protéticas feitas pela tecnologia CAD-CAM usando uma simulação de mastigação, e considerando o critério de falha como as primeiras trincas detectadas por um aparelho de detecção de emissão acústica. Materiais e métodos: Serão utilizados quatro materiais para uso em CAD-CAM comerciais : blocos de compósito para uso indireto (Lava Ultimate, 3M), blocos cerâmicos/poliméricos (Enamic, Vita Zahnfabrik), blocos de vitrocerâmicas à base de dissilicato de lítio (IPS e.max CAD, Ivoclar Vivadent) e uma vitrocerâmica à base de silicato de lítio reforçada com zircônia (Suprinity, Vita Zahnfabrik). Na primeira parte deste projeto (relacionado aos objetivos nº 1 e 2), 39 espécimes em forma de disco de cada material serão produzidos e divididos em 3 grupos. O primeiro grupo será usado para determinar a resistência à flexão dos materiais. O segundo grupo será submetido ao teste de desgaste e fadiga. Primeiramente, os espécimes serão levados a um perfilômetro para determinação topográfica. Em seguida, os discos serão submetidos a um teste de desgaste, no qual os espécimes serão levados a um simulador de mastigação por um período correspondente a um ano de uso clínico. Após o teste, os corpos-de-prova serão novamente submetidos à análise topográfica através de perfilometria para determinação da perda de volume, profundidade de desgaste e rugosidade superficial. Os mesmos espécimes serão então submetidos à fadiga cíclica para determinação do tempo de vida dos espécimes (a área desgastada será colocada no lado da tração). O terceiro grupo (controle) não será submetido a desgaste e será levado apenas ao simulador de mastigação por fadiga cíclica. Na segunda fase deste projeto (referente ao objetivo nº 3), serão preparados 21 espécimes em forma de coroas de cada material, simulando o primeiro molar inferior. As coroas serão cimentadas em modelos preparados de resina composta presos em tubo de PVC. Estes espécimes serão levados a um simulador de mastigação para o teste de fadiga cíclica com o auxílio de um detector acústico. Para discos e coroas, o teste de fadiga será o método "step-stress", que utiliza três perfis de fadiga: lento, moderado e severo. A análise fractográfica será realizada para todos os espécimes (discos e coroas). Dados de desgaste e rugosidade serão analisados por ANOVA com nível de significância global de 5%, e os dados de fadiga serão analisados usando o programa Weibull ++ / Alta Pro 7 para determinar a probabilidade de falha estimada sob fadiga, em níveis de tensão de 50 ou 100 MPa (discos) e em cargas de 70 a 150 N (coroas), após missões de 1, 3 ou 5 milhões de ciclos (correspondendo a 1, 3 e 5 anos de uso clínico). (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.