Busca avançada
Ano de início
Entree

EMU concedido no processo 2018/05006-0: ultramicrótomo Leica UC7

Processo: 18/14881-2
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Programa Equipamentos Multiusuários
Vigência: 01 de fevereiro de 2019 - 31 de janeiro de 2026
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Citologia e Biologia Celular
Pesquisador responsável:Alexandre Leite Rodrigues de Oliveira
Beneficiário:Alexandre Leite Rodrigues de Oliveira
Instituição-sede: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:18/05006-0 - Recuperação sensório-motora após axotomia de raízes medulares: emprego de diferentes abordagens experimentais, AP.TEM
Assunto(s):Neurobiologia  Sinapses  Medula espinhal  Equipamentos multiusuários  Sistema nervoso  Aquisição de equipamentos 
As informações abaixo são de responsabilidade do Pesquisador responsável.
Página web do EMU:https://www.ib.unicamp.br/microscopia_eletronica/equipamentos
Tipo de equipamento:Processos Biológicos - Processamento de tecidos - Micrótomo
Fabricante: Leica
Modelo: UC7

Resumo

A coordenação motora envolve processos neurais específicos que vão desde a percepção de seu estímulo até a realização da resposta, sendo dependente da integração sensório-motora, que é particularmente evidente na medula espinal. Lesões nas raízes medulares podem resultar em perdas sensitivas e motoras, dependendo da raiz afetada. Esse tipo de lesão tem se tornado um importante problema médico e comumente afeta o plexo braquial devido a um trauma de alta energia. A reparação de tais lesões é uma tarefa delicada, devido à possibilidade de novos danos a medula espinal e das estruturas circunvizinhas e, apesar do progresso substancial em técnicas de microcirurgia, a recuperação após a cirurgia do plexo braquial está longe de ser ideal. Além disso, devido a possibilidade de gerar dor neuropática, os procedimentos cirúrgicos de restauração de lesões nas raízes se restringem apenas ao reparo das raízes ventrais (componente motor), descartando o componente sensorial (raízes dorsais). Nesse contexto, a expressão do complexo de histocompatibilidade principal (MHC I), receptores do tipo Toll (TLR2 e 4 principalmente) têm se destacado como mecanismos a serem mais profundamente investigados, relacionados à plasticidade sináptica. Além disso, novas terapias precisam ser desenvolvidas para o reparo das raízes dorsais. Um tratamento promissor seria a utilização de plasma rico em plaquetas (PRP), como alternativa no reparo das raízes lesadas. Além disso, o emprego conjunto do PRP com células tronco embrionárias humanas (hESC) e com o fármaco imunomodulador dimetil-fumarato (DMF), pode potencializar uma eventual regeneração tecidual. No presente estudo, as respostas teciduais frente a diferentes abordagens reparativas e neuroprotetoras serão avaliadas em termos de modulação de transcritos gênicos relacionados aos fatores neurotróficos BDNF e GDNF, bem como o perfil e a produção de citocinas anti e pró-inflamotórias. Ainda, a expressão de marcadores de plasticidade neural e reatividade glial será avaliada por imunoistoquímica. Por fim, testes comportamentais nos diferentes grupos experimentais, serão realizados através do método "walking track test" (CatWalk) e Von-Frey Eletrônico, durante o período de recuperação funcional até 8 semanas pós-lesão. Acreditamos que nossos resultados servirão de base para o melhor conhecimento do processo de resposta a lesões proximais e poderá contribuir para o futuro emprego clínico destas abordagens terapêuticas, preenchendo uma importante lacuna nos procedimentos reparativos, após traumas raquimedulares. (AU)