Busca avançada
Ano de início
Entree

Imunosensores para detecção de células prostáticas tumorais circulantes utilizando anticorpos monoclonais murinos

Processo: 18/19083-7
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de fevereiro de 2019 - 31 de janeiro de 2021
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Histologia
Pesquisador responsável:Andrei Moroz
Beneficiário:Andrei Moroz
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCFAR). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara , SP, Brasil
Pesq. associados:Ana Marisa Fusco Almeida ; Elenice Deffune ; Guilherme Peixoto ; Marcel Otavio Cerri ; Ramon Kaneno ; Sidney José Lima Ribeiro ; Wagner José Fávaro
Bolsa(s) vinculada(s):19/00356-6 - Aperfeiçoamento em cultivo de células animais e tecnologia de hibridomas, BP.TT
Assunto(s):Matriz extracelular  Neoplasias da próstata  Células neoplásicas circulantes  Metaloproteinases da matriz 

Resumo

O câncer de próstata (CaP) é o câncer mais diagnosticado e a segunda causa de mortes por câncer entre os homens na América e nos países da Europa Ocidental. No Brasil, o número de novos casos de CaP estimado para o ano de 2018 foi de 68.220, com uma sobrevida média de 24 meses aos pacientes que desenvolvem a forma mais letal da doença, para o qual os tratamentos disponíveis são pouco eficazes. Sua detecção precoce é de fundamental importância e, para isso, destaca-se o papel dos anticorpos monoclonais, ferramentas que possuem importante papel na terapia, diagnóstico e estadiamento da doença. No entanto as técnicas clássicas na obtenção de anticorpos monoclonais podem não ser capazes de selecionar ou aumentar a probabilidade de obtenção de anticorpos específicos a antígenos que tenham relação direta com os processos de metástase tumoral. Neste sentido, esse projeto propõe utilizar uma técnica inovadora, desenvolvida em nosso laboratório, denominada imunização subtrativa de múltiplas tolerizações, a qual seleciona antígenos altamente agressivos e pouco expressos/raros na superfície de células tumorais. Após todas as etapas clássicas da obtenção dos clones de hibridomas, os dois melhores anticorpos, depois de produzidos e caracterizados, serão aplicados a uma plataforma diagnóstica empregando a tecnologia de imunosensores baseados em filmes nanoestruturados de fibroína, e também em imunohistoquímica, que poderão auxiliar no âmbito clínico ao detectar e caracterizar células tumorais circulantes, facilitando rápido diagnóstico de recidivas ou metástases. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.