Busca avançada
Ano de início
Entree

Medo e ansiedade: o papel do sistema orexinérgico no córtex pré-frontal medial

Processo: 18/03898-1
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Apoio a Jovens Pesquisadores
Vigência: 01 de março de 2019 - 28 de fevereiro de 2023
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Neuropsicofarmacologia
Pesquisador responsável:Rafael Carvalho Almada
Beneficiário:Rafael Carvalho Almada
Instituição-sede: Faculdade de Ciências e Letras (FCL-ASSIS). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Assis. Assis, SP, Brasil
Pesq. associados: Carsten T. Wotjak ; Newton Sabino Canteras ; Norberto Cysne Coimbra ; Telma Goncalves Carneiro Spera de Andrade
Bolsa(s) vinculada(s):19/01713-7 - Medo e ansiedade: o papel do sistema orexinérgico no córtex pré-frontal medial, BP.JP
Assunto(s):Optogenética  Transtornos de ansiedade  Ansiedade  Medo  Condicionamento do medo  Córtex pré-frontal  Hipotálamo 

Resumo

A capacidade de detectar e prever eventos ameaçadores ou estressantes é essencial para a sobrevivência. Embora trabalhos recentes tenham se concentrado no córtex pré-frontal medial (mPFC) como estrutura fundamental no controle das emoções, o hipotálamo também tem sido implicado na regulação desses processos, e o neuropeptídio hipotalâmico orexina (hipocretina) parece estar envolvido no processamento dos estados de medo e ansiedade. Nesse sentido, tem sido sugerido que os neurônios orexinérgicos do hipotálamo lateral (LH) que se projetam para o mPFC desempenham um papel importante nas funções cognitivas executadas pelo mPFC. Entretanto, pouco se sabe a respeito do papel dos mecanismos orexinérgicos no mPFC, sobretudo o da via LH-mPFC, durante a organização das respostas comportamentais associadas ao medo e à ansiedade. Portanto, utilizando técnicas de neurotraçamento, de imuno-histoquímica, neurofarmacologia e optogenética associadas a ensaios comportamentais, o objetivo do presente trabalho será investigar o papel dos mecanismos orexinérgicos no córtex pré-límbico (PL), sub-região do mPFC, e da via LH-PL durante a organização e expressão das respostas defensivas associados ao medo e à ansiedade. A hipótese é que os mecanismos orexinérgicos, principalmente via receptores orexina do tipo 1 (OX1R) sejam fundamentais durante a organização e expressão das respostas comportamentais associadas ao medo e à ansiedade. A expectativa é que esse projeto possa ampliar o conhecimento científico acerca da neurofisiologia do medo e da ansiedade, além de também incentivar o desenvolvimento de novos fármacos, tendo impacto, sobretudo na elaboração de novas estratégias para o tratamento das doenças psiquiátricas. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.