Busca avançada
Ano de início
Entree

Assinatura de miRNAs poderia ser útil para predição de prognóstico e tratamento em sarcomas e carcinossarcomas uterinos?

Processo: 18/18603-7
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Artigo
Vigência: 01 de janeiro de 2019 - 30 de junho de 2019
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Saúde Materno-infantil
Pesquisador responsável:Kátia Cândido Carvalho
Beneficiário:Kátia Cândido Carvalho
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Ginecologia  Prognóstico  MicroRNAs  Marcador molecular 

Resumo

Alterações na expressão de microRNAs (miRNA) podem levar ao desenvolvimento de câncer e / ou contribuir para a sua progressão; no entanto, seu papel nos sarcomas uterinos é pouco compreendido. Os sarcomas uterinos (US) pertencem a uma classe de tumores raros e heterogêneos, representando cerca de 1% de todos as neoplasias ginecológicas. Este estudo teve como objetivo avaliar o perfil de expressão de 84 miRNAs relacionados ao desenvolvimento do câncer e avaliar sua correlação com características clínicopatológicas das pacientes. Oitenta e duas amostras fixadas em formol embebidas em parafina (FFPE) foram selecionadas. No leiomiossarcoma (LMS), houve associação de menor sobrevida câncer específica (SCE) com a hipoexpressão de miR-125a-5p e miR-10a-5p, e hiperexpressão de miR-196a-5p e miR-34c-5p. Em carcinossarcoma (CS), menor sobrevida foi associada com o ganho de miR-184, e perda de let-7b-5p e miR-124. Nos sarcomas estromais endometriais (ESS), a hiperexpressão de miR-373-3p, miR-372-3p e let-7b-5p, hipoexpressão de let-7f-5p, miR-23-3p e let-7b-5p foram associadas menor SCE. Apenas o ganho na expressão do miR-138-5p foi associada a maiores taxas de sobrevivência. miR-335-5p, miR-301a-3p e miR-210-3p foram hiperexpressos em pacientes com metástase e recidiva tumoral. A expressão de miR-138-5p, miR-146b-5p e miR-218-5p foram associadas a maior sobrevida livre de doença (SLD) em pacientes tratadas. Em conjunto, os resultado mostram que esses miRNAs representam potenciais marcadores para predição de prognóstico e resposta ao tratamento nestes tumores. (AU)