Busca avançada
Ano de início
Entree

Treinamento concorrente: efeito no mecanismo epigenético de metilação do DNA

Processo: 18/12150-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de fevereiro de 2019 - 31 de janeiro de 2021
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Educação Física
Pesquisador responsável:Cleiton Augusto Libardi
Beneficiário:Cleiton Augusto Libardi
Instituição-sede: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Pesq. associados:Carlos Ugrinowitsch
Assunto(s):Treinamento de força  Hipertrofia muscular 

Resumo

Enunciado do Problema: As respostas agudas dos níveis de metilação do DNA em genes miogênicos e relacionados à ativação das células satélites (CSs) podem ser mecanismos que expliquem o menor ganho massa muscular após um período de treinamento aeróbio (TA) associado ao treinamento de força (TF) (i.e, treinamento concorrente [TC]) comparado TF isolado. Objetivo: Determinar e comparar as mudanças induzidas por uma sessão de TF, TA e TC nos níveis de metilação do DNA e expressão de genes miogênicos relacionados às células satélites e à biogênese mitocondrial. Métodos: Quinze homens não treinados realizarão três diferentes sessões de treinamento, a saber: TF, TA e TC, de maneira aleatoria e contrabalanceada (delineamento experimental cross over), com intervalo de uma semana entre elas. A sessão de TF será composta por 2 séries de 8-12 repetições máximas com intervalo de 60s, no exercício Leg press 45° e no exercício de cadeira extensora. A sessão de TA será composta por 12 sprints de 1 min à 100% da vVO2máx com intervalo de 1 minuto à 50% da vVO2máx entre os sprints. A sessão de TC será composta pelo protocolo de TF seguido pelo protocolo de TA, com intervalo de 5 minutos entre eles. Serão obtidas 4 amostras de tecido muscular e de sangue em cada uma das sessão experimental, sendo uma coletada imediatamente antes do exercício (Pré), e outras três coletadas após o exercício (imediatamente após, 4 horas e 8 horas depois). Serão determinados e comparados os níveis de metilação dos genes relacionados à miogênese (MyoD, Myf5,MyoG, MRF4) e à biogênese mitocondrial (PGC-1±, TFAM, PPAR-³), bem como a quantidade e o estado (quiescência, ativação, ou diferenciação) das células satélites. Nossa hipótese é que, enquanto a sessão de TF produzirá a demetilação dos genes miogênicos, e o consequente aumento da transcrição de mRNA desses genes, a sessão de TA, contrariamente, aumentará a metilação dos genes miogênicos diminuindo a transcrição dos respectivos mRNAs. Assim, nós também hipotetizamos que o TC, atenuará a demetilação dos genes miogênicos, em comparação com o TF isolado, minimizando a expressão desses genes e, consequentemente, no ciclo de ativação, proliferação e diferenciação das CSs, fator que pode induzir o efeito de interferência observado após um período de TC. (AU)