Busca avançada
Ano de início
Entree

Produção de concentrado de proteínas derivadas de células estromais multipotentes (MSC) para aplicação clínica em medicina veterinária

Resumo

As células estromais multipotentes (MSCs) são células que apresentam a capacidade de se autorrenovar e se diferenciar in vitro em células de várias linhagens, tornando-as atrativas para a medicina regenerativa, engenharia de tecidos e terapia celular. Um dos principais mecanismos pelo qual as CTMs atuam na regeneração tecidual está relacionado à sua atividade parácrina, através da liberação de diversas citocinas, substâncias antioxidantes e fatores tróficos e de crescimento, criando um microambiente favorável com capacidade de modular respostas imunes e inflamatórias. Nesse sentido, a avaliação do conteúdo proteico do secretoma do meio condicionado por essas células caninas busca entender suas propriedades e possíveis aplicações na medicina regenerativa. Diversos estudos têm demonstrado a eficácia da utilização do secretoma produzido por CTMs para o tratamento de lesões renais, ósseas, neurológicas, dermatológicas, hepáticas, pulmonares e do sistema himunológico. No entanto a produção em larga escala em biorreatores e a composição do secretoma nestas condições de cultivo ainda não são conhecidos impedindo sua ampla utilização na terapia regenerativa. Portanto, o objetivo deste projeto é produzir e analisar o secretoma de MSCs caninas obtidas de tecido adiposo cultivadas em garrafas e em biorreatores tipo frasco Spinner, com o objetivo de criar um produto a ser utilizado em protocolos terapêuticos para o tratamento de doenças caninas degenerativas. Serão realizados 4 experimentos. No primeiro será comparada a produtividade e viabilidade celular em cultivo estático e em frascos spinner utilizando-se dois tipos de microcarregadores. Neste estudo será mensurada a concentração total de proteína, a produção de ácido lático e de amônia pelas células. Em um segundo experimento, a estabilidade e contaminação bacteriana do meio condicionado pelas MSC cultivadas no experimento 1 será avaliada após resfriamento, congelamento e liofilização. A avaliação secretoma do meio condicionado será realizada no experimento 3 por meio de nanocromatografia acoplada a espectrometria de massas combinada com a marcação isobárica. Após a realização destas análises, no experimento 4 será realizado um teste de segurança objetivando avaliar a viabilidade da aplicação clínica do meio contendo o secretoma de MSCs na espécie canina. Os resultados obtidos fornecerão informações importantes para o melhor conhecimento do comportamento das MSCs, em garrafas de cultivos tradicionais e em biorreatores; bem como para o desenvolvimento de novas estratégias em terapias regenerativas em que não seria necessário aplicar das células, mas sim das proteínas por elas produzidas, criando possibilidades terapêuticas mais controladas e com efeitos colaterais reduzidos. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)