Busca avançada
Ano de início
Entree

Estilo de vida, marcadores bioquímicos e genéticos como fatores de risco cardiometabólico: inquérito de saúde na cidade de São Paulo

Processo: 17/05125-7
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Temático
Vigência: 01 de fevereiro de 2019 - 31 de janeiro de 2024
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Nutrição - Análise Nutricional de População
Pesquisador responsável:Regina Mara Fisberg
Beneficiário:Regina Mara Fisberg
Instituição-sede: Faculdade de Saúde Pública (FSP). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisadores principais:Flávia Mori Sarti ; Marcelo Macedo Rogero
Pesq. associados:Alex Antonio Florindo ; Barbara Santarosa Emo Peters ; Billie Giles-Corti ; Chester Luiz Galvão Cesar ; Cristiane Hermes Sales ; Elizabeth Aparecida Ferraz da Silva Torres ; Ioná Zalcman Zimberg ; Josiemer Mattei ; Júlia Maria Pavan Soler ; Ligia Araujo Martini ; Ligia Vizeu Barrozo ; Maria Cecilia Goi Porto Alves ; Marilisa Berti de Azevedo Barros ; Michelle Alessandra de Castro ; Moisés Goldbaum ; Nágila Raquel Teixeira Damasceno ; Philip Charles Calder ; Regina Célia Mingroni Netto ; Sandra Maria Lima Ribeiro
Assunto(s):Epidemiologia  Epidemiologia nutricional  Modo de vida  Consumo de alimentos  Nutrigenômica  Sono  Biomarcadores  Marcadores genéticos 

Resumo

Diante da expressiva prevalência de doenças crônicas não-transmissíveis (DCNT), como as doenças cardiovasculares e das repercussões negativas à saúde e economia, estratégias que investiguem fatores de risco cardiometabólico se tornam imperativas para a prevenção e controle das DCNT. Nesse contexto, este projeto de delineamento transversal de base populacional pretende avaliar, em residentes do município de São Paulo, fatores modificáveis relacionados ao estilo de vida, bem como sua associação com marcadores bioquímicos e genéticos relacionados a fatores de risco cardiometabólico. Para isso, foram coletados nos domicílios, em questionário estruturado, dados sociodemográficos, econômicos e de estilo de vida em indivíduos de ambos os sexos, com 12 anos e mais (n = 901). Numa segunda visita foi realizada avaliação antropométrica, aferição da pressão arterial e coleta de sangue, e os adultos e idosos foram convidados a realizar densitometria óssea e estimar o gasto energético por meio de água duplamente marcada. O sangue foi coletado para determinação da concentração de micronutrientes, glicemia, perfil lipídico, biomarcadores de inflamação e polimorfismos de nucleotídeo único. O consumo alimentar foi avaliado por dois recordatórios de 24 horas. Como as DCNT apresentam etiologia multifatorial, uma abordagem que considere marcadores de risco cardiometabólico (inflamação, lipoproteínas, microRNA, permeabilidade intestinal, DNA, peso corporal), comportamentos de risco (dieta, atividade física, sono, tabagismo, consumo de bebida alcoólica) e também determinantes desses comportamentos (ambiente físico e social) pode trazer respostas que possibilitem intervenções eficazes no âmbito de saúde pública. Assim, a presente proposta traz uma abordagem ampla e ao mesmo tempo profunda das complexas relações acerca das DCNT na população. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Pós-doutorado em análise nutricional de população com bolsa da FAPESP 
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.