Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito do treinamento de ergômetro de braço na função e regulação cardiovascular de pacientes com doença arterial periférica: ensaio clínico aleatorizado controlado

Processo: 17/22113-2
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de fevereiro de 2019 - 31 de janeiro de 2021
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Gabriel Grizzo Cucato
Beneficiário:Gabriel Grizzo Cucato
Instituição-sede: Instituto Israelita de Ensino e Pesquisa Albert Einstein (IIEPAE). Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein (SBIBAE). São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados: JOHN MICHAEL SAXTON ; Marilia de Almeida Correia ; Nelson Wolosker ; Raphael Mendes Ritti Dias
Assunto(s):Exercício  Doença arterial periférica  Sistema cardiovascular  Pressão sanguínea  Procedimentos cirúrgicos vasculares 

Resumo

Pacientes com doença arterial periférica (DAP) apresentam um alto risco de eventos cardiovasculares fatais e não fatais. Estratégias que auxiliam na redução do risco cardiovascular nesses pacientes são necessárias. Estudos com treinamento em ergômetro de braço (EB) têm demonstrado trazer benefícios na capacidade funcional de pacientes com DAP contornando a principal barreira para a prática de exercício nesses pacientes, a dor. Entretanto, o efeito desse tipo de treinamento em indicadores da função cardiovascular ainda não está estabelecido. Assim, o objetivo desse projeto é analisar o efeito de 12 semanas de treinamento em EB na função e regulação cardiovascular de pacientes com DAP e compará-lo com a atual recomendação de exercício, o treinamento de caminhada (TC). Nesse ensaio clínico, 45 pacientes serão alocados aleatoriamente em três grupos experimentais: treinamento em EB, TC e grupo controle (GC). Os grupos EB e TC realizarão duas sessões semanais com a intensidade equivalente à 13-15 na escala de percepção subjetiva de esforço de Borg. Os pacientes do GC realizarão reuniões, duas vezes por semana, apenas para realizar atividades diversas e convívio em gupo, sem nenhum exercício envolvido. Além disso, todos os grupos serão encorajados a aumentar o nível de atividade, como normalmente são orientados como conduta clínica. Previamente ao início e após 12 semanas de intervenção, serão obtidos os seguintes indicadores da função cardiovascular: pressões arteriais braquial e central, variabilidade da frequência cardíaca, rigidez arterial e função endotelial. Será utilizada análise de variância de dois fatores para medidas repetidas, tendo o grupo (EB, TC e GC) e o tempo (pré e pós-intervenção) como fatores, será aceito como significante valor de P<0.05. (AU)