Busca avançada
Ano de início
Entree

Microalgas como solução para recuperação de nutrientes provenientes de esgoto sanitário de alta carga

Processo: 18/18367-1
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de fevereiro de 2019 - 31 de janeiro de 2021
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Sanitária - Tratamentos de Águas de Abastecimento e Residuárias
Pesquisador responsável:Gustavo Henrique Ribeiro da Silva
Beneficiário:Gustavo Henrique Ribeiro da Silva
Instituição-sede: Faculdade de Engenharia (FE). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Bauru. Bauru , SP, Brasil
Pesq. associados:Alvaro José dos Santos Neto ; Inês Cechin ; Katia Regina Evaristo de Jesus ; Rodrigo Braga Moruzzi
Assunto(s):Microalgas  Tratamento biológico anaeróbio  Tratamento anaeróbio  Economia circular 

Resumo

Os sistemas de saneamento empregados atualmente implicam em desvalorização dos resíduos, perda de nutrientes, desperdício de água e emissão de cargas poluidoras residuais no meio ambiente. Sabe-se que o setor agrícola depende do uso de fertilizantes sintéticos para a produção global de alimentos, todavia, o setor tem sofrido grande pressão em razão crise hídrica e futura escassez fósforo. Aliado a isso, o novo conceito de saneamento visa a recuperação máxima de energia e recursos das águas residuárias, minimizando o uso de água potável e emissões de micropoluentes. Neste contexto, esse projeto visa o desenvolvimento e aperfeiçoamento de tecnologias de tratamento de esgoto sanitário que possibilitem a transição para uma economia circular e tragam benefícios ambientais, econômicos e sociais. Para isso, será avaliado um processo de tratamento composto por sistema anaeróbio e cultivo de microalgas. Além disso, será monitorada a qualidade do efluente final, produção de metano e biomassa algal. Será estudado o uso de coagulantes naturais para a separação da biomassa algal, por meio de coagulação/floculação. A biomassa algal resultante será avaliada quanto à sua qualidade como biofertilizante e viabilidade no cultivo de Amaranthus cruentus. A remoção de micropoluentes, metais pesados e patógenos humanos também será avaliada em todo o sistema para garantir uma qualidade de efluente final e biomassa algal adequados para reutilização. Finalmente, será realizada a análise de sustentabilidade do processo proposto, considerando os diferentes cenários para recuperação da biomassa de algas. Com o sistema de tratamento proposto serão fechados os ciclos de nutrientes, energia e água de forma sustentável, ao mesmo tempo em que produziremos um valioso produto de biomassa algal. (AU)