Busca avançada
Ano de início
Entree

Simulação da dinâmica da atrazina e aplicação da indução eletromagnética (EMI)

Resumo

O aumento de produtividade dos cultivos, na maioria das vezes, está associado a um aumento na utilização de insumos agrícolas, tais como, os herbicidas. Quando esses produtos são aplicados de uma maneira desordenada no solo, podem ocorrer processos de lixiviação e assim provocar algum tipo de contaminação ambiental, podendo alcançar águas subterrâneas. Nesse sentido, em termos de aplicação de herbicidas, a atrazina é um exemplo dessa classe, que é intensamente utilizada no Brasil e no mundo e é frequentemente detectada como sendo o principal poluente orgânico, revelando-se dessa forma como potencial contaminante do lençol freático. Portanto, visando um maior controle de riscos de um possível impacto ambiental aliado à necessidade de aumento de produtividade, faz-se necessário o conhecimento com maior detalhamento sobre a dinâmica desses elementos no perfil do solo. Dessa forma, busca-se como objetivo principal dessa pesquisa, simular a dinâmica da atrazina. em um perfil de solo. utilizando o modelo HYDRUS 2D, em condições de cultivo de milho, tanto em regiões de solos tropicais quanto temperados. Para tal, a pesquisa será realizada em dois locais distintos: Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz" (ESALQ/USP), junto ao Departamento de Engenharia de Biossistemas e no U.S. Meat Animal Research Center, em Clay Center, Nebraska (EUA). A pesquisa será desenvolvida em três etapas: 1) coleta de dados das propriedades físico-hídricas dos respectivos solos (tropicais e temperados) e da atrazina; 2) obtenção dos parâmetros de transporte da atrazina, nos respectivos solos (tropicais e temperados), mediante a elaboração de Breakthrough Curves e posterior ajuste numérico pelo modelo STANMOD (pacote do modelo Hydrus) e 3) simulação numérica da distribuição da solução (água e atrazina) pelo HYDRUS 2D no decorrer do desenvolvimento de um cultivo de milho. Com os resultados obtidos, espera-se colaborar com a melhoria do manejo da aplicação da atrazina, evitando assim possíveis impactos ambientais e auxiliar no desenvolvimento sustentabilidade agrícola. (AU)