Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise econômica do milho consorciado com capim-marandu em função da aplicação de Azospirillum brasilense

Processo: 18/26436-3
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Artigo
Vigência: 01 de março de 2019 - 31 de agosto de 2019
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia
Pesquisador responsável:Marcelo Andreotti
Beneficiário:Marcelo Andreotti
Instituição-sede: Faculdade de Engenharia (FEIS). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Ilha Solteira. Ilha Solteira , SP, Brasil
Assunto(s):Sistemas de produção  Zea mays 

Resumo

Os Sistemas Integrados de Produção Agropecuária sob Sistema Plantio Direto, agregam valores à produção de grãos e a atividade pecuária durante todo ano. O objetivo deste trabalho foi avaliar os custos de produção e lucratividade da cultura do milho irrigado mecanicamente, consorciado ou não Urochloa brizantha cv. Marandu, inoculados ou não com Azospirillum brasilense, no Cerrado de baixa altitude. O trabalho foi composto por dois experimentos sequenciais, conduzidos em Selvíria - MS, entre os anos de 2015 e 2016. O delineamento experimental dos dois experimentos foi em blocos ao acaso com quatro repetições. O primeiro experimento constou de seis tratamentos: a) milho exclusivo inoculado, b) milho exclusivo sem inoculação, c) consórcio sem inoculação, d) consórcio com inoculação em ambas as sementes, e) consórcio com inoculação na semente do milho, e f) consórcio com inoculação na semente de capim. Na entressafra do milho, para o segundo experimento, as unidades experimentais onde havia capim foram subdivididas em três tratamentos: a) capim inoculado via foliar (250 mL de inoculante), b) capim adubado com ureia à lanço (200 kg de N ha-1 ano-1) e c) capim sem adubação ou inoculação. Os insumos foram os componentes que mais oneraram o custo de produção do milho. Nos tratamentos onde o capim foi destinado para silagem, os índices de lucratividade foram positivos, viabilizando o sistema independente da inoculação. (AU)