Busca avançada
Ano de início
Entree

Resposta pulpar de ratos submetidos ao clareamento e uso de diferentes drogas antiinflamatórias

Processo: 19/00272-7
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Artigo
Vigência: 01 de março de 2019 - 31 de agosto de 2019
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Materiais Odontológicos
Pesquisador responsável:André Luiz Fraga Briso
Beneficiário:André Luiz Fraga Briso
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia (FOA). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araçatuba. Araçatuba , SP, Brasil
Assunto(s):Dentística  Substância P  Clareamento de dente  Peptídeo relacionado com gene de calcitonina 

Resumo

O objetivo deste estudo foi avaliar a expressão do neuropeptídeo após o tratamento clareador, utilizando análises histopatológicas e imunoistoquímicas e os efeitos da hidrocortisona e do acetaminofeno na inflamação pulpar, uma vez que o clareamento dental e a inflamação ocorrem pela primeira vez, e só então o tratamento. Sessenta e três ratos foram divididos em três grupos (n = 21) de acordo com a terapia analgésica utilizada: I-controle; II-Aplicação tópica de Otosporin por 10 min após o tratamento clareador; III-administração oral de paracetamol 30 min antes do clareamento e depois a cada 12h. Em todos os grupos de estudo, o gel placebo foi aplicado na maxila esquerda (controle) e um gel clareador à base de H2O2 a 35% foi aplicado na maxila direita por 45 min. Sete animais de cada grupo foram eutanasiados em diferentes momentos: 0h após o tratamento, 24h e 48h. Após a eutanásia, o primeiro molar de cada lado foi analisado por histologia e imuno-histoquímica para avaliar o grau de inflamação e verificar a presença dos neuropeptídeos, substância P (SP) e peptídeo relacionado ao gene da calcitonina (CGRP). Os dados foram analisados por meio do teste estatístico não paramétrico de Kruskal-Wallis, seguido pelo teste de Dunn para comparações individuais. Extensas áreas de necrose foram observadas nos grupos que receberam apenas tratamento clareador, enquanto os danos reduzidos foram obtidos no grupo tratado com Otosporin. A análise imuno-histoquímica mostrou imunomarcação positiva em todos os grupos, incluindo o controle, mas foi mais forte nos grupos que receberam tratamento clareador. Os melhores resultados foram obtidos no grupo que recebeu tratamento com otosporin. O uso de Otosporin após o clareamento dental minimizou os efeitos colaterais deste tratamento. (AU)