Busca avançada
Ano de início
Entree

Produção de juvenis de garoupa em alta densidade - GAROUPATEC

Processo: 18/15174-8
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas - PIPE
Vigência: 01 de março de 2019 - 28 de fevereiro de 2021
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Recursos Pesqueiros e Engenharia de Pesca - Aquicultura
Pesquisador responsável:Claudia Ehlers Kerber
Beneficiário:Claudia Ehlers Kerber
Empresa:Claudia e Kerber Aquicultura - ME
CNAE: Aqüicultura em água salgada e salobra
Município: Ilhabela
Bolsa(s) vinculada(s):19/05996-3 - Produção de juvenis de garoupa em alta densidade: GAROUPATEC, BP.PIPE
Assunto(s):Piscicultura  Peixes marinhos  Epinephelus marginatus  Garoupa  Alevinos 

Resumo

O cultivo de peixes marinhos se desenvolve rapidamente em todo o mundo, mas ainda há uma demanda mundial de consumo reprimida da ordem de 6,7 milhões de toneladas até 2020 (FAO, 2018) e no Brasil, uma balança de pescados negativa da ordem de 1 bilhão de dólares em 2017. Nosso país tem 8.500 km de costa tropical sem rota de furacões e com aptidão para aquicultura. Apesar desta abundância e pela falta de disponibilidade de alevinos de outras espécies, somente o cultivo de bijupirá (Rachycentron canadum) em grandes empreendimentos no sistema off shore se desenvolveu até o momento. Nos últimos anos, os sistemas de recirculação de água (Aquaculture Recyrculation System - RAS) são uma tendência mundial. Eles permitem produzir organismos marinhos em alta densidade, longe da costa, com liberação mínima de efluentes utilizando apenas a quantidade de água que se perde pela evaporação. A Garoupa verdadeira (Epinephelus marginatus) é uma espécie nativa do Atlântico Sul e do Mediterrâneo, onde se encontra ameaçada de extinção (IUCN A2d). É um produto nobre, que estampa a nossa nota de 100 reais, vendido vivo a mais de 70 euros/kilo em restaurantes de Lisboa. No Brasil tem grande demanda de mercado e alto valor comercial, mas sua pesca está proibida pela Portaria MMA 445/2014. A empresa REDEMAR Alevinos tem grande experiência com a espécie em questão já que, ao longo de 12 anos desenvolveu com recursos próprios a tecnologia para reprodução e a produção de alevinos em larga escala. Atualmente a empresa comercializa alevinos com 2 gramas, mas o crescimento da espécie tem sido muito lento no primeiro ano de engorda, inviabilizando o cultivo. Este projeto de pesquisa pretende elucidar se é possível manter alevinos de garoupa em alta densidade até que alcancem 80 gramas a fim de oferecer ao mercado uma nova espécie de peixe marinho para cultivo que gere mais receita para a empresa e permita um retorno financeiro compensador e com baixo risco aos criadores. Entendemos que, se pudermos oferecer ao mercado juvenis com cerca de 80 gramas ao invés de alevinos de 2 gramas que produzimos atualmente, os animais alcançarão na fazenda mais de 1 kg ao final de um ano de engorda, suficiente para o abate. Nosso desafio é fazer a recria até que o juvenil atinja 80 gramas em sistema de recirculação com alta densidade. Este projeto tem potencial para alavancar, finalmente a piscicultura marinha no Brasil possibilitando a inclusão de pequenos e médios produtores na cadeia. A proponente oferece suas instalações, equipamentos diversos, alguns insumos, energia, água e mão de obra muito qualificada. Faz parte do estudo também a validação dos resultados de engorda com cultivo em tanques rede no mar através de parceiros em Ilhabela, SP. (AU)