Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito dos dispositivos de magnificação sobre a acuidade visual em estudantes de odontologia

Processo: 19/02879-6
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Artigo
Vigência: 01 de março de 2019 - 31 de agosto de 2019
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Odontologia Social e Preventiva
Pesquisador responsável:Patrícia Petromilli Nordi Sasso Garcia
Beneficiário:Patrícia Petromilli Nordi Sasso Garcia
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia (FOAr). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara , SP, Brasil
Assunto(s):Saúde ocupacional  Estudantes de odontologia  Acuidade visual 

Resumo

O objetivo deste estudo foi avaliar o grau de acuidade visual de estudantes de odontologia em função de cinco diferentes condições visuais. Participaram deste estudo 40 estudantes de cada ano (2° ao 5° anos) do curso de graduação. O exame de acuidade visual foi realizado por meio da visão a olho nu, visão com lupa simples, visão com lupa do sistema Galilean, visão com lupa do sistema Keplerian e microscópio operatório, em duas distâncias de trabalho (de 30 a 40cm boca/olhos e confortável para o operador). Os desvios angulares de pescoço foram registrados por meio de tomadas fotográficas. A acuidade visual foi medida através de uma tabela de E-optótipos localizados em cavidades classe I de molares superiores. O desvio angular foi mensurado por meio do Software de Análise Postural. A análise de variância a dois fatores foi conduzida de forma independente para os diferentes anos do curso (2°, 3°, 4° e 5°). O nível de significância adotado para tomada de decisão foi de 5%. Observou-se, tanto para a acuidade visual quanto para o ângulo de pescoço, interação significativa para o sistema de magnificação e distância (p<0,01) para todos os anos. Para a distância padronizada e em todos os anos do curso, a maior acuidade visual foi para as lupas Galilean (503,12±161,61 - 514,06±109,47), Keplerian (444,79±243,58 - 543,23±109,47) e microscópio operatório (477,60±183,84 - 583,33±0,00). Para a distância confortável, as lupas Galilean (497,21±158,04 - 522,70±132,20) e Keplerian (452,29±238,03 - 546,87±135,61) apresentaram maior acuidade. Para a angulação de pescoço, na distância padronizada, os estudantes do 2° ano apresentaram menores ângulos com o uso do microscópio e lupa Keplerian (32,83±7,77), para o 3° ano não houve diferença, para estudantes do 4° ano as menores angulações foram proporcionadas pelas lupas Galilean (36,29±9,63), Keplerian (30,74±8,15) e microscópio operatório (27,25±9,12) e para o 5° ano o microscópio operatório (24,18±6,73). Na distância confortável, as lupas Galilean (36,54±10,35 - 39,71±10,33) e Keplerian (33,50±8,21 - 35,19±6,90) foram as melhores para os estudantes do 2°, 3° e 5° anos. Para os estudantes do 4° ano foi apenas a lupa Keplerian (31,44±7,98). Concluiu-se que os sistemas de magnificação Galilean, Keplerian e microscópio operatório promoveram melhoria na acuidade visual e na manutenção de menor angulação do pescoço. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
WAJNGARTEN, DANIELLE; NORDI SASSO GARCIA, PATRICIA PETROMILLI. Effect of magnification devices on dental students' visual acuity. PLoS One, v. 14, n. 3 MAR 27 2019. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.