Busca avançada
Ano de início
Entree

Estruturas secretoras em espécies de rosales

Resumo

Estruturas secretoras são responsáveis pela produção, pelo isolamento e/ou liberação de metabólitos especiais nas plantas. Ocorrem como células individualizadas ou como estruturas pluricelulares de formas variadas em quase todas as partes do corpo da planta. Constituem tema de destaque na Botânica, por exibirem grande diversidade morfológica e química, e importante papel na interação planta-animal e planta-ambiente. Abordagens diversas têm sido apresentadas para tais estruturas, em especial para as angiospermas: morfologia, composição química dos compostos produzidos, dinâmica da secreção, alguns estudos experimentais e, mais recentemente, estudos comparados e evolutivos. No entanto, há ainda uma grande lacuna no que tange aos estudos integrativos e de diversidade, além de grupos taxonômicos pouco estudados, em especial aqueles de distribuição tropical. Tal lacuna representa um grande desafio e uma oportunidade, principalmente porque há ainda muita dificuldade em se discriminar a função de cada tipo de estrutura secretora para a planta. Assim, com a intenção de avançar nestes aspectos do conhecimento o presente projeto tem por objetivo estudar em detalhe as estruturas secretoras registradas nas famílias de reconhecida importância econômica da ordem Rosales (Cannabaceae, Moraceae, Ulmaceae, Urticaceae, Elaeagnaceae, Rhamnaceae e Rosaceae). As seguintes estruturas secretoras serão detalhadamente abordadas: canal e cavidade secretora, idioblasto mucilaginoso, laticífero, nectário floral, osmóforo e tricoma secretor. Folha, caule e órgãos florais serão coletados de pelo menos 28 espécies de 22 gêneros incluídas em sete das nove famílias que compõem a ordem Rosales. Tais tipos de estruturas secretoras foram levantadas em projeto previamente financiado pela Fapesp (AP 2014/07453-3) cujo foco foi a flor de espécies do clado urticoide (Cannabaceae, Moraceae, Ulmaceae, Urticaceae). Técnicas de rotina e avançadas de microscopia serão empregadas, incluindo análises de superfície (MEV), histológica (ML), de histolocalização de substâncias (ML), de estrutura 3D (confocal e micro-CT) e ultraestrutural (MET). Os dados obtidos de órgãos vegetativos e daqueles relacionados à reprodução serão comparados a fim de melhor compreender as funções das estruturas secretoras para as plantas estudadas. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
LEME, FLAVIA MARIA; BORELLA, PEDRO HENRIQUE; MARINHO, CRISTINA RIBEIRO; TEIXEIRA, SIMONE PADUA. Expanding the laticifer knowledge in Cannabaceae: distribution, morphology, origin, and latex composition. PROTOPLASMA, v. 257, n. 4 MAR 2020. Citações Web of Science: 0.
MARINHO, CRISTINA RIBEIRO; TEIXEIRA, SIMONE PADUA. Cellulases and pectinases act together on the development of articulated laticifers in Ficus montana and Maclura tinctoria (Moraceae). PROTOPLASMA, v. 256, n. 4, p. 1093-1107, JUL 2019. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.