Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo sobre a excreção de vírus respiratórios e arbovírus em colostro humano

Processo: 18/13871-3
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de março de 2019 - 29 de fevereiro de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Saúde Materno-infantil
Pesquisador responsável:Ivan Savioli Ferraz
Beneficiário:Ivan Savioli Ferraz
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Pesq. associados: André Luiz Giusti
Assunto(s):Arbovirus  Virologia  Leite materno 

Resumo

O leite materno é o alimento ideal para o lactente, devendo ser ofertado de forma exclusiva até o sexto mês de vida, é o elemento pós-natal mais relevante para a programação metabólica e imunológica da saúde do bebê1. A oferta de leite materno pela mãe confere vantagens nutricionais, imunonológicas e biopsicossocias ao lactente colaborando para a redução dos índices de mortalidade infantil2.Em relação às vantagens imunológicas, sabe-se que o leite materno contém um grande número de elementos que agem como defesa do lactente em casos de agravos de natureza infecciosa, tais como células (células tronco, linfócitos T, macrófagos, neutrófilos), proteínas (alfa-lactoalbumina, lactoferrina, citocinas), peptídeos (defensinas), fatores de crescimento (responsáveis pela maturação de sistemas fisiológicos, mucosa intestinal e imunomodulação) e imunoglobulinas (IgA, IgM, IgD e IgG)3, 4. Ao lado dos fatores de proteção do colostro humano, o lactente pode ser infectado durante a amamentação por microorganismos oriundos da mãe; a origem deste contágio tem como fonte secreções respiratórias, lesões de pele ou do seio e/ou mamilo, sendo que o próprio leite materno pode ser fonte de contágio, especialmente no caso dos vírus5. Muitos deles são causas de infecções no lactente; sabe-se que, por exemplo, o vírus da imunodeficiência humana (HIV), o vírus T-linfotrópico humano (HTLV) e o vírus da inclusão citomegálica (CMV) podem ser transmitidos ao lactente por meio da amamentação5-8; alguns outros vírus se mostram presentes no leite materno, mas não têm transmissão comprovada por este meio, como o caso do Zika vírus. Entretanto, com exceção de alguns poucos vírus, pouco se sabe sobre a excreção de vírus comuns que comumente infectam o organismo materno, como vírus respiratórios e arbovirus endêmicos na nossa região. Consequentemente, inexistem estudos se estes microorganismos presentes no leite materno poderiam exercer algum efeito sobre o sistema imunológico em formação da criança4. O objetivo deste trabalho será investigar a presença de vírus respiratórios e arbovírus endêmicos na nossa região em amostras de colostro humano em puérperas no período de pós-parto imediato da Maternidade Dona Francisca da Irmandade de Misericórdia da Santa Casa de São Carlos. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.