Busca avançada
Ano de início
Entree

Ação do bissulfato de clopidogrel sobre o perfil tromboelastométrico no tratamento de cães com hiperadrenocorticismo acth-dependente

Processo: 18/16767-2
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de março de 2019 - 28 de fevereiro de 2021
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Clínica e Cirurgia Animal
Pesquisador responsável:Regina Kiomi Takahira
Beneficiário:Regina Kiomi Takahira
Instituição-sede: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Pesq. associados:Bruna dos Santos ; Felipe Gazza Romão ; Pedrita Carvalho Ferreira Assunção ; Viviani de Marco
Assunto(s):Hemostasia  Hidrocortisona  Tromboelastometria 

Resumo

Diversas condições patogênicas podem levar a um estado de hipercoagulabilidade, quadro no qual pode haver a formação de trombos e/ou coagulação intravascular disseminada. No entanto, técnicas hemostáticas clássicas como tempo de tromboplastina parcial ativada (TTPA) e tempo de protrombina (TP) não são sensíveis para determinar a hipercoagulabilidade. O método mais indicado para detecção tanto da hipocoagulabilidade quanto hipercoagulabilidade é a tromboelastometria. Trata-se de um teste in vitro que integra os componentes celulares e solúveis do processo hemostático, a fim de resultar em uma avaliação geral da hemostasia. O hiperadrenocorticismo pode levar a um estado de hipercoagulabilidade por supostamente aumentar a atividade de fatores de coagulação e da concentração de fibrinogênio, além de diminuir a atividade da antitrombina, esta última especialmente pela suposta glomerulonefrite e proteinúria. O objetivo deste projeto é verificar se o bissulfato de clopidogrel, agente antiagregação plaquetária, seria capaz de diminuir o estado de hipercoagulabilidade em animais diagnosticados com hiperadrenocorticismo. Para tanto será realizado um estudo clínico prospectivo e randomizado em que os cães terão seu perfil hemostático caracterizado no momento do diagnóstico e três meses após a instituição dos protocolos terapêuticos. Com os resultados oriundos desse projeto, buscamos compreender melhor a frequência com que a hipercoagulabilidade ocorre nesta endocrinopatia, além da possível ação antitrombótica pela utilização do bissulfato de clopidogrel e os efeitos do trilostano sobre o estado de hipercoagulabilidade. (AU)