Busca avançada
Ano de início
Entree

Monitoramento genotóxico, citotóxico, oxidativo e neuro-imune-endócrino em profissionais expostos aos resíduos de gases anestésicos durante a residência médica

Processo: 18/20143-4
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de março de 2019 - 28 de fevereiro de 2021
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Cirurgia
Pesquisador responsável:Leandro Gobbo Braz
Beneficiário:Leandro Gobbo Braz
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FMB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Pesq. associados:Mariana Gobbo Braz
Assunto(s):Exposição ocupacional  Anestesiologia  Anestésicos inalatórios 

Resumo

Considerando a relevância e originalidade da temática, o presente estudo tem como objetivo monitorar a ação genotóxica, citotóxica, oxidativa e neuro-imune-endócrina em jovens profissionais expostos ocupacionalmente aos resíduos de gases anestésicos mais utilizados atualmente durante o período da residência médica. O estudo do tipo follow-up será realizado em médicos residentes do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu - UNESP que atuarão em centro cirúrgico e estarão ocupacionalmente expostos aos resíduos de isoflurano, sevoflurano, desflurano e óxido nitroso. As amostras biológicas serão coletadas no momento anterior ao ingresso na residência médica (controle) e após seis meses durante os três anos da residência, totalizando seis coletas/indivíduo. Avaliar-se-ão danos basais e oxidativos no genoma pelo teste do cometa, viabilidade/morte celular e disfunção mitocondrial por citometria de fluxo e diversos marcadores de estresse oxidativo (em ácidos nucleicos, lipídios e proteína, além de enzimas antioxidantes e capacidade antioxidante total), por meio de diferentes métodos (cromatografia, imunoensaio e fluorometria). A resposta neuro-imune-endócrina será avaliada por meio de marcadores como os hormônios adenocorticotrófico, cortisol e prolactina, da proteína C reativa de alta sensibilidade (PCR-as) e de enzimas hepáticas, além de hemograma. Adicionalmente, a expressão de diversos genes envolvidos em importantes vias de reparo/danos no material genético, de inflamação e de estresse oxidativo será avaliada por PCR quantitativo em tempo real. Assim, é de grande relevância a condução deste estudo em jovens profissionais, em início de carreira, a fim de se compreender os possíveis efeitos tóxicos e mecanismos que a exposição aos anestésicos inalatórios pode ocasionar, por se tratar de importante questão ocupacional em anestesiologia. (AU)