Busca avançada
Ano de início
Entree

Repercussões histopatológicas da ação dos desreguladores endócrinos bisfienol-A e 17-beta-estradiol sobre glândulas mamárias e próstata feminina do Gerbilo da Mongólia e suas relações com a carcinogênese quimicamente induzida pelo MNU

Processo: 18/23383-6
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de março de 2019 - 28 de fevereiro de 2021
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Histologia
Pesquisador responsável:Sebastião Roberto Taboga
Beneficiário:Sebastião Roberto Taboga
Instituição-sede: Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas (IBILCE). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de São José do Rio Preto. São José do Rio Preto , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):19/05631-5 - Repercussões histopatológicas da ação dos desreguladores endócrinos bisfienol-A e 17-beta-estradiol sobre glândulas mamárias e próstata feminina do Gerbilo da Mongólia e suas relações com a carcinogênese quimicamente induzida pelo MNU, BP.TT
Assunto(s):Histopatologia  Próstata  Reprodução 

Resumo

O desenvolvimento de novos tratamentos contra doenças relacionadas à glândula mamária e próstata depende do conhecimento sobre a morfologia, fisiologia e patologia dessas glândulas. Os gerbilos (Meriones unguiculatus) têm sido frequentemente utilizados em experimentos científicos, uma vez que apresentam custo de manutenção acessível, são pequenos, relativamente fáceis de manipular e resistentes às condições experimentais. Este projeto tem como objetivo avaliar as repercussões histopatológicas da ação dos desreguladores endócrinos bisfienol-A e 17-beta-estradiol sobre glândulas mamárias e próstata feminina do gerbilo da Mongólia, bem como suas relações com a carcinogênese quimicamente induzida pelo MNU. Para a etapa de caracterização morfológica da mama, serão utilizadas as glândulas mamárias e próstatas de animais em puberdade, adultos, em gestação, em lactação e senis. O tecido glandular de mama e de próstata será corado com hematoxilina e eosina, reticulina de Gomori e PAS e as reações imunohistoquímicas para receptores de ER-a e ER-b, progesterona e a-actina serão realizadas. Na etapa de avaliação do efeito carcinogênico nas células da glândula mamária e próstata feminina, as mães serão tratadas durante a gestação e lactação com diferentes doses de bisfenol A ou 17-beta-estradiol. Das fêmeas nascidas, um grupo será tratado, aos 90 dias de idade com carcinógeno N-nitroso-N-metil-uréia. As lesões celulares pré-neoplásicas e neoplásicas, na mama e próstata feminina serão avaliadas através de coloração por hematoxilina e eosina, PAS e pelas reações imunohistoquímicas para verificar a presença de antígenos KI67, PCNA, receptores de ER-a, ER-b e progesterona, e mediadores inflamatórios TNF-alfa e COX-2. Esse estudo pretende estabelecer padrões comparativos para a avaliação dos efeitos dos desreguladores endócrinos sobre as duas gândulas já que o ineditismo desses ensaios reside no fato de, nessa espécie animal, as fêmeas possuem próstata e desta forma, poder-se-á promover um estudo combinado sobre a desregulação endócrina nas duas glândulas ao mesmo tempo, no mesmo animal. Além disso, serão avaliados outros órgãos para verificar a presença de metástases. No momento da eutanásia, também será coletado sangue para dosagem de estradiol sérico e amostras de glândula mamária e próstata para quantificação de proteínas por métodos moleculares. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
SANCHES, BRUNO D. A.; CARVALHO, HERNANDES F.; MALDARINE, JULIANA S.; BIANCARDI, MANOEL F.; SANTOS, FERNANDA C. A.; VILAMAIOR, PATRICIA S. L.; TABOGA, SEBASTIAO R. Differences between male and female prostates in terms of physiology, sensitivity to chemicals and pathogenesis-A review in a rodent model. Cell Biology International, AUG 2019. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.