Busca avançada
Ano de início
Entree

Pesquisa e desenvolvimento de metodologia para estimar a distância máxima efetiva de coleta de informação de inversão térmica, apontada por estação meteorológica com drones, para aplicação no controle do bicudo do algodoeiro (Anthonomus grandis)

Processo: 17/22774-9
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas - PIPE
Vigência: 01 de maio de 2019 - 31 de janeiro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Agrometeorologia
Pesquisador responsável:Regina Bernardina Johanna Hakvoort
Beneficiário:Regina Bernardina Johanna Hakvoort
Empresa:Regina Bernardina Johanna Hakvoort - ME
CNAE: Cultivo de algodão herbáceo e de outras fibras de lavoura temporária
Atividades de apoio à agricultura
Município: Avaré
Pesq. associados:Júlio César Pereira ; Onofre Trindade Junior
Assunto(s):Estabilidade atmosférica  Inversão térmica  Cotonicultura  Bicudo-do-algodoeiro 

Resumo

A Anáhata Serviços Agronômicos Ltda é uma empresa de base tecnológica associada da Incubadora de Empresas de Base Tecnológica da Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz" da Universidade de São Paulo (ESALQ-USP). Faz parte do ecossistema de inovação representado pelo Agtech Valley, cuja centralidade é ocupada pela ESALQ-USP. A aviação agrícola utiliza bicos pulverizadores específicos que produzem o espectro de gotas ideal para o controle de pragas. Por meio da tecnologia correta de aplicação, aliando-se conhecimentos sobre o comportamento epidemiológico do bicudo do algodoeiro, obteve-se isenção da praga na cotonicultura paulista na safra 14/15. Os resultados mostraram redução do número de aplicações de defensivos em 50%. Esse projeto foi desenvolvido e executado pela Associação Paulista de Produtores de Algodão, e foi coordenado pela empreendedora da Anáhata, Engenheira Agrônoma Regina Hakvoort. Na safra seguinte, 15/16, os resultados foram ainda melhores, com a obtenção de 70% na redução do número de aplicações para controle do bicudo, o que representou uma diminuição de 30 aplicações, sem controle da praga, para 9 aplicações, com completa supressão do bicudo. A conclusão é que o uso da tecnologia de Ultra Baixo Volume (UBV), para funcionar de forma correta, necessariamente precisa ser empregada em condições meteorológicas adequadas. Essa tecnologia é muito suscetível ao fenômeno da Inversão Térmica, por esta ocasionar deriva, ou seja, havendo risco de não ser atingida a lavoura que se busca tratar. Durante os trabalhos conduzidos nestas duas safras, observou-se que a maioria dos cotonicultores não controlava o fenômeno da Inversão Térmica. Para alcançar a supressão do bicudo do algodoeiro foi observado que a tecnologia de aplicação é uma estratégia fundamental. As aplicações devem ser monitoradas acuradamente, para que sejam observadas as condições meteorológicas corretas. A Anáhata considera que esse fator é determinante para a obtenção de controle máximo, com o uso de um número mínimo possível de aplicações. Os SisVANTs (Sistemas de Veículos Aéreos não Tripulados) representam uma alternativa de baixíssimo custo no transporte de sensores para monitoramento remoto de vários tipos de aplicações. No manejo integrado de pragas, por exemplo, os SisVANTs podem ajudar no monitoramento das condições meteorológicas. Assim, é possível medir em tempo real: o fenômeno da Inversão Térmica, em diferentes alturas, por meio da coleta de dados de temperatura entre 2 e 10m; e velocidade do vento. Essas informações são fundamentais para a autorização de voos visando à aplicação aérea de defensivos agrícolas. Portanto, o presente projeto tem o objetivo de pesquisar e desenvolver a tecnologia de aplicação aérea por meio do uso de drones equipados com sensores climáticos. O interesse é gerar dados para estimar a distância máxima efetiva da informação de Inversão Térmica, pela comparação das informações geradas no entorno de uma torre de medição de Inversão Térmica fixada no solo, em um ponto central da cultura, para áreas de interesse ocupadas com cotonicultura. Este projeto visa, portanto, desenvolver a automação dos procedimentos, por meio da geração de hardwares, softwares e algoritmos, empregáveis em tempo real, para alcançar o manejo otimizado do bicudo do algodoeiro. A Anáhata considera que esse projeto é viável e pode permitir a criação de um modelo para monitorar o fenômeno da Inversão Térmica. O uso de drones pode substituir os equipamentos atuais terrestres, com maior mobilidade e precisão nas determinações. Portanto, o objetivo final é melhorar as técnicas de controle do bicudo do algodoeiro, alvo primário, com a geração de modelos de tomada de decisão real time. Ressalta-se, que essa tecnologia pode ser empregada para o controle de outras pragas, com o uso de aplicação aérea, em outras culturas de interesse para o agronegócio brasileiro. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.