Busca avançada
Ano de início
Entree

Papel de anticorpos contra variantes de PspA e PspC na proteção contra Streptococcus pneumoniae

Processo: 18/25165-6
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de abril de 2019 - 31 de março de 2021
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia - Microbiologia Aplicada
Pesquisador responsável:Eliane Namie Miyaji
Beneficiário:Eliane Namie Miyaji
Instituição-sede: Instituto Butantan. Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Vacinas  Anticorpos  Desenvolvimento de vacinas  Streptococcus pneumoniae 

Resumo

Streptococcus pneumoniae é um importante patógeno humano, causando doenças como otite média, sinusite, pneumonia, bacteremia e meningite. As vacinas conjugadas polissacarídicas são baseadas na indução de anticorpos contra o polissacarídeo capsular e mostraram-se bastante eficientes na prevenção de infecções invasivas em crianças. No entanto, houve rápida substituição de colonização da nasofaringe e de doença por sorotipos não-vacinais. Idosos continuam sendo um grupo especialmente afetado, com alta incidência de pneumonia pneumocócica. Não se sabe se a queda de imunidade a algum antígeno específico do pneumococo estaria relacionada à alta susceptibilidade de idosos. Trabalhos anteriores mostraram evidências de que níveis mais baixos de anticorpos anti-PspA (Pneumococcal surface protein A) e anti-PspC (Pneumococcal surface protein C) estariam relacionados a um aumento de colonização. Esses dois antígenos apresentam variabilidade entre os isolados. PspA foi classificado em 6 clados e PspC apresenta 11 grupos. Nesse projeto serão avaliados os níveis de anticorpos contra diferentes variantes dos antígenos PspA e PspC em amostras de soro de indivíduos com mais de 50 anos, em comparação com adultos jovens. IgG contra variantes de PspA e PspC será ainda purificado a partir de preparações de imunoglobulina humana para injeção intravenosa (IVIg) e utilizado em experimentos de proteção passiva de camundongos contra colonização e infecção letal. A possível associação entre diminuição de anticorpos contra diferentes variantes de PspA e PspC com o aumento da idade e com maior susceptibilidade à colonização e infecção por pneumococo embasaria o uso desses antígenos como vacinas. (AU)