Busca avançada
Ano de início
Entree

EMU concedido no processo 2017/50349-0: extensógrafo

Processo: 19/00072-8
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Programa Equipamentos Multiusuários
Vigência: 01 de março de 2019 - 28 de fevereiro de 2026
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Ciência e Tecnologia de Alimentos - Tecnologia de Alimentos
Pesquisador responsável:Luis Fernando Ceribelli Madi
Beneficiário:Luis Fernando Ceribelli Madi
Instituição-sede: Instituto de Tecnologia de Alimentos (ITAL). Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA). Secretaria de Agricultura e Abastecimento (São Paulo - Estado). Campinas, SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:17/50349-0 - Plano de desenvolvimento institucional em pesquisa do Instituto de Tecnologia de Alimentos - ITAL (PDIp), AP.PDIP
Assunto(s):Panificação  Farinha de trigo  Aquisição de equipamentos  Equipamentos multiusuários 
Página web do EMU: Página do Equipamento Multiusuário não informada
Agendamento de uso: E-mail de agendamento não informado

Resumo

O Extensógrafo é utilizado para realização de ensaios que complementam a caracterização reológica de farinha de trigo, que mede a resistência à extensão, extensibilidade e energia necessária para ruptura da massa produzida com farinha de trigo e solução salina. Composto por unidade boleadora, unidade modeladora e da unidade de extensão de massa para a realização da análise, além de software para geração das curvas extensográficas. Este equipamento complementa as informações fornecidas pelo farinógrafo, pois mede a extensibilidade e resistência à extensão de massas de farinhas de cereais. Todo o preparo da massa, que será analisada no extensógrafo. E, é realizado no farinógrafo, ou seja, tecnicamente não é possível o preparo em outro equipamento. Permite estudos com variações de ingredientes e aditivos adicionados à massa, auxiliando a avaliação da influência dos ingredientes funcionais nas características da rede de glúten, com a possibilidade de sobreposição de curvas extensográficas, facilitando a visualização comportamental e na definição de dosagens de aditivos a serem adicionados. Também possui metodologias oficiais em acordo com os principais órgãos aprovadores de métodos, desenvolvidas especificamente para este equipamento, como a American Association of Cereal Chemists International - AACCI 54-10.01, International Association for Cereal Science and Technology - ICC 114/1 e ISO 5530-2.A aquisição deste equipamento faz parte da estratégia deste PDIP de modernizar a capacidade analítica do Instituto para estudo de propriedades importantes para desenvolvimento de produtos e processos na área de farinhas e outros produtos de cereais. (AU)