Busca avançada
Ano de início
Entree

Melatonina e a infeção com Leishmania amazonensis alteram a expressão de miR-294, miR-30e e miR-302-d e IMPACT na expressão de TNF, MCP-1 e NOS2

Processo: 19/03827-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Artigo
Vigência: 01 de abril de 2019 - 30 de setembro de 2019
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Parasitologia
Pesquisador responsável:Sandra Marcia Muxel
Beneficiário:Sandra Marcia Muxel
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Leishmania  Melatonina  Óxido nítrico  MicroRNAs  Macrófagos 

Resumo

A Leishmaniose é uma doença negligenciada que causa um amplo espectro de manifestações clínicas, de lesões cutâneas a viscerais. Os passos iniciais da resposta inflamatória envolve a fagocitose da Leishmania e replicação do parasite dentro dos fagolisossomos no macrofágo. A melatonina, hormônio de sinalização do periodo de claro-escuro, está envolvido na modulação da ativação de macrofagos durante doenças infecciosas, controlando a resposta inflamatória contra parasitas.Neste trabalho, nós mostramos que o tratamento de BALB/c-macrófagos com melatonina exógena reduziu a infecção com L. amazonensis e modulou a expressão de microRNAs (miRNAs), assim como a producao de citocinas, como IL-6, MCP-1/CCL2 e RANTES/CCL9.Confirmamos o papel de um dos miRNAs (miR-294-3p) em BALB/c-macrófagos infectados com L. amazonensis através de ensaios de inibição de miRNA, que mostraram o aumento nos níveis de expressão de Tnf e Mcp-1/Ccl2 e diminuição na infectividade. Ainda, o tratamento com melatonina ou inibiçào miR-30e-5p e miR-302d-3p aumetou a expressão de nitric oxide synthase 2 (Nos2) mRNA e a producao de óxido nítrico (NO), alterou o estado de ativação dos macrófagos e reduziu a infectividade. Nossos dados demonstraram que o impacto do tratamento com melatonina no perfil de expressão de miRNA em BALB/c-macrófagos infectados com L. amazonensis definiu o caminho da infecção. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.