Busca avançada
Ano de início
Entree

Sensibilidade ao glicocorticóide e sua relação com componentes da síndrome metabólica em pacientes tratados por Leucemia Linfocítica Aguda na infância

Processo: 18/21342-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de março de 2019 - 28 de fevereiro de 2021
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Saúde Materno-infantil
Pesquisador responsável:Adriana Aparecida Siviero Miachon
Beneficiário:Adriana Aparecida Siviero Miachon
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados: ANA VIRGINIA LOPES DE SOUSA ; Angela Maria Spinola Castro ; Antonio de Miranda ; Carlos Alberto Longui ; Eunice Mayumi Suenaga
Assunto(s):Receptores de glucocorticoides  Corticosteroides  Síndrome metabólica  Obesidade abdominal  Endocrinologia  Adiposidade 

Resumo

Em pacientes tratados na infância por leucemia linfocítica aguda (LLA), o objetivo é determinar os componentes da síndrome metabólica, compreendendo obesidade central, lipídeos, pressão arterial e glicose/insulina, avaliar a sensibilidade ao glicocorticoide (GC), por meio de testes de sensibilidade e de exames in vitro para pesquisa de variantes polimórficas/isoformas do receptor do GC (GR) e correlacionar os perfis clínicos e metabólicos com a sensibilidade ao GC. A proposta é avaliar 40 pacientes tratados por LLA na infância, de ambos os sexos, pós-púberes e há pelo menos dois anos fora de terapia, avaliados de acordo com características clínicas, relacionadas à doença e ao tratamento, variáveis antropométricas (peso, estatura e índice de massa corpórea), índices de adiposidade (circunferências e suas relações, massa gorda por absorciometria por feixe duplo de raio-x e gordura abdominal por tomografia do abdome), perfil endócrino-metabólico (lipídeos e resistência à insulina), testes de sensibilidade ao GC (teste de supressão com dexametasona oral 0,25 mg overnight e teste intravenoso de supressão com dose muito baixa de dexametasona), determinação de variantes polimórficas de GR e quantificação de mRNA de sua variante de processamento GR-alfa por reação de polimerase em cadeia quantitativa em tempo real (qrt-PCR). Sabe-se que a sensibilidade ao GC, determinada pela expressão de mRNA das diferentes isoformas e/ou a presença de polimorfismos específicos no GR, é um dos fatores envolvidos com a resposta ao tratamento e importante fator prognóstico na LLA. Especula-se se também representa um mecanismo no aumento do risco para doença cardiovascular neste subgrupo de pacientes. (AU)