Busca avançada
Ano de início
Entree

Exossomos em Diabetes Mellitus gestacional

Processo: 18/22406-2
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de março de 2019 - 28 de fevereiro de 2021
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Saúde Materno-infantil
Convênio/Acordo: Imperial College, Reino Unido
Proposta de Mobilidade: SPRINT - Projetos de pesquisa - Mobilidade
Pesquisador responsável:Marilza Vieira Cunha Rudge
Beneficiário:Marilza Vieira Cunha Rudge
Pesq. responsável no exterior: Costanza Emanueli
Instituição no exterior: Imperial College London, Inglaterra
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FMB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Pesq. associados:Angélica Mércia Pascon Barbosa ; Juliana Ferreira Floriano ; Raghavendra Hallur Lakshmana Shetty
Vinculado ao auxílio:16/01743-5 - Coorte da tríade gestacional: hiperglicemia, incontinência urinária e perfil clínico, molecular e ômico da miopatia hiperglicêmica na predição de incontinência e disfunção muscular e pesquisa translacional com biodevice para regeneração muscular em ratas, AP.TEM
Assunto(s):Exossomos  Diabetes gestacional  MicroRNAs 

Resumo

O diabetes gestacional promove efeitos deletérios aos músculos do assoalho pélvico e reto abdominal, acarretando em incontinência urinária nestas mulheres até dois anos pós-parto, devido à miopatia diabética gestacional, uma condição caracterizada por várias alterações musculares e atrofia. Muitos aspectos da fisiopatologia da mioapatia diabética gestacional ainda não estão claros e o grupo de pesquisa Diamater têm intensificado seus esforços no entendimento e tratamento desta patologia. Atualmente o tratamento para a miopatia diabética gestacional e incontinência urinária, assim como seu diagnóstico é pouco efetivo, elevando os custos em saúde pública e diminuindo a qualidade de vida das mulheres. Portanto, faz-se necessário desenvolver novas pesquisas nesta área com a finalidade de esclarecer a fisiopatologia, identificar biomarcadores que atuem no diagnóstico precoce e efetivo e também desenvolver pesquisas voltadas para a terapia da miopatia diabética gestacional. Recentemente o estudo dos exossomos têm se demonstrado efetivo não somente como biomarcador para patologias, mas também para estudos da fisiopatologia de doenças e terapias inovadoras. Por este motivo, este projeto de pesquisa tem como objetivo, promover o engajamento de pesquisadores da Imperial College London (Prof. Costanza Emanueli, Dr Prashant Srivastava; Dr Gareth Willis e Prof. Molly Stevens Freng, Reino Unido) e da Universidade Estadual Paulista (UNESP, Dra. Marilza Vieira Cunha Rudge, Dra. Angélica Mercia Pascon Barbosa, Dra. Juliana Ferreira Floriano e Dr. Raghavendra Hallur Lakshmana Shetty, Brasil), melhorando e criando novas perspectivas de uso translacional da terapia proposta no número do processo temático: 2016 / 01743-5.2. Desenvolver novos dados piloto que investiguem o potencial de exossomos para melhorar a previsão, o diagnóstico e o tratamento da miopatia do assoalho pélvico induzida pelo diabetes mellitus gestacional (DMG). Utilizando especificamente um modelo de DMF de roedores estabelecido, avaliaremos as seguintes questões científicas de relevância translacional: 2.1. Fisiopatologia: Os exossomos circulantes contribuem para miopatia por GMD;2.2. Os exossomos circulantes podem melhorar a previsão e o diagnóstico de miopatia por GMD; 2.3. Os exossomos derivados de células-tronco mesenquimais (MSCs) podem representar nova esperança terapêutica Miopatia diabética gestacional; 3. Desenvolver novas propostas colaborativas de pesquisa de médio e longo prazo entre Brasil e Reino Unido para avançar o conhecimento acima para a translação clínica. Por meio destes estudos esperamos esclarecer aspectos importantes da fisiopatologia da miopatia diabética gestacional, identificar biomarcadores que promovam diagnóstico precoce e efetivo, além de, desenvolver terapias mais efetivas para a miopatia diabética gestacional. (AU)