Busca avançada
Ano de início
Entree

Rendimento energético da biomassa produzida do etanol de primeira e segunda geração, acrescido com glicerina bruta para produção de pellets

Processo: 17/24234-1
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Programa BIOEN - Regular
Vigência: 01 de abril de 2019 - 31 de março de 2021
Área do conhecimento:Interdisciplinar
Pesquisador responsável:Ronaldo da Silva Viana
Beneficiário:Ronaldo da Silva Viana
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Agrárias e Tecnológicas. Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Dracena. Dracena, SP, Brasil
Pesq. associados:Eleni Gomes ; José Cláudio Caraschi
Assunto(s):Bioenergia  Biomassa  Energia renovável  Etanol  Glicerol  Microgrânulos 

Resumo

Embora seja aproveitada basicamente em aplicações farmacêuticas, a glicerina, coproduto da cadeia produtiva do biodiesel, denota grande potencial para produção de biocombustíveis sólidos, como na mistura nas matérias-primas usadas na produção de briquetes e pellets. Diante do exposto, a proposta tem como por objetivo avaliar o rendimento energético da biomassa produzida do etanol de primeira e segunda geração, acrescido com glicerina bruta para produção de pellets, à partir do bagaço de cana-de-açúcar e biomassa lignocelulósica. Os experimentos serão conduzidos em três ensaios no Laboratório de Máquinas e Mecanização Agrícola da FCAT - UNESP/Campus de Dracena-SP. As matérias-primas, bagaço de cana-de-açúcar, biomassa lignocelulose resultante do processo de produção de etanol de segunda geração de cana-de-açúcar, glicerina bruta serão adquiridos junto a Usina Caeté e a empresa Cargill respectivamente. Durante a condução serão realizados em 3 ensaios conforme descrito a seguir: No ensaio I será utilizado o delineamento inteiramente casualizado, correspondente ao bagaço de cana-de-açúcar em mistura com quatro percentuais de glicerina bruta de (0, 1, 2 e 3 % em massa), com 5 repetições de 100 gramas de pellets. No ensaio II será utilizado o delineamento inteiramente casualizado, correspondente a biomassa residual lignocelulósica de cana-de-açúcar, resultante do processo de produção de bioetanol de segunda geração em mistura com quatro percentuais de glicerina bruta de (0, 1, 2 e 3 % em massa), com 5 repetições de 100 gramas de pellets. No ensaio III o delineamento experimental será o inteiramente casualizado, sendo os tratamentos arranjados em esquema fatorial 3x4, correspondente a três relações entre o bagaço de cana-de-açúcar e a biomassa lignocelulósica, resultante do processo de produção de bioetanol de segunda geração (75/25, 50/50 e 25/75, respectivamente) associadas com quatro percentuais de glicerina bruta de (0, 1, 2 e 3 %), com 4 repetições de 100 gramas de pellets. Após as misturas dos materiais serão encaminhados para caracterização e realização das análises física, química, imediata, elementar, energética, durabilidade mecânica e determinação quantitativa dos açúcares. Para avaliar o rendimento energético dos pellets serão consideradas as seguintes variáveis: poder calorífico superior (PCS), poder calorífico inferior (PCI) e densidade energética. (AU)