Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo do potencial vacinal da proteína LigB de Leptospira spp

Processo: 19/00546-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de abril de 2019 - 31 de março de 2021
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia - Microbiologia Aplicada
Pesquisador responsável:Patricia Antonia Estima Abreu de Aniz
Beneficiário:Patricia Antonia Estima Abreu de Aniz
Instituição-sede: Instituto Butantan. Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados:Marcos Bryan Heinemann
Bolsa(s) vinculada(s):19/09804-1 - Estudo do potencial vacinal da proteína LigB de Leptospira spp., BP.TT
Assunto(s):Leptospirose  Vacinas  Leptospira 

Resumo

A leptospirose é uma zoonose com ampla distribuição mundial, causada por espiroquetas patogênicas do gênero Leptospira. No mundo, estima-se que sua incidência seja de aproximadamente um milhão de casos com 58.900 mortes por ano. Na pecuária, causa grandes perdas econômicas por provocar alterações reprodutivas nos animais infectados.As vacinas comerciais disponíveis são compostas por culturas de leptospiras de diferentes sorovares inativadas (bacterinas). Atualmente, são utilizadas na pecuária e licenciadas para uso humano em poucos países. Apresentam baixa eficiência, pois promovem proteção somente contra os sorovares presentes na preparação e falham em induzir imunidade de longa duração, o que requer administração anual ou semestral. Como alternativa, tem sido proposto o desenvolvimento de uma vacina que possa apresentar proteção contra os diferentes sorovares patogênicos. A proteína leptospiral immunoglobulin (Ig)-like B (LigB) é considerada o antígeno vacinal mais promissor descrito até o momento. Esta proteína possui domínios Ig-like repetidos similares àqueles encontrados em outras proteínas bacterianas, como a invasina de Yersinia pseudotuberculosis e intimina de Escherichia coli. Resultados obtidos por diferentes grupos, sobre a capacidade da proteína LigB induzir proteção contra a leptospirose em modelo de desafio letal homólogo em hamsters, são contraditórios. Nossa hipótese é que os resultados diferentes obtidos podem ser devido a problemas de conformação da estrutura secundária das proteínas recombinantes utilizadas. Além disso, não é conhecido se a proteína LigB é capaz de induzir proteção heteróloga contra diferentes sorovares de leptospiras.Neste sentido, os objetivos deste projeto são: 1- confirmar a capacidade de indução de resposta imunoprotetora desencadeada pela proteína LigB em modelo de desafio homólogo letal em hamsters, utilizando amostras de proteínas recombinantes purificadas com presença de estrutura secundária ordenada comprovada através de análises por dicroísmo circular; 2- Verificar a capacidade da proteína LigB de induzir proteção cruzada. (AU)