Busca avançada
Ano de início
Entree

Emprego de métodos menos invasivos / não invasivos na avaliação e predição da fluido-responsividade em cães

Processo: 18/25610-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de abril de 2019 - 31 de março de 2021
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Clínica e Cirurgia Animal
Pesquisador responsável:Francisco José Teixeira Neto
Beneficiário:Francisco José Teixeira Neto
Instituição-sede: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Ecocardiografia  Anestesiologia  Anestesia  Choque  Coloides 

Resumo

Justificativa/Objetivos Gerais: A otimização do débito cardíaco (DC) / volume sistólico (VS), baseada na relação curvilínea entre VS e pré-carga (curva de Frank-Starling), vem sendo empregada como meta hemodinâmica para a expansão de volume em pacientes gravemente enfermos ou submetidos a cirurgias de grande porte na medicina (Michard 2005; Michard et al, 2007; Bednarczyk et al, 2017). De acordo com esta estratégia, denominada fluido-responsividade, a expansão de volume deve ser realizada apenas em pacientes respondedores a volume, ou seja, indivíduos onde a administração de fluido resultará em aumento significativo do DC/VS devido ao seu coração estar operando na porção de pré-carga dependência curva de Frank-Starling). Seguindo a tendência em se minimizar o grau de invasividade da monitoração hemodinâmica em anestesia e terapia intensiva, o presente projeto de pesquisa objetiva avaliar métodos menos invasivos para determinação da fluido-responsividade em cães.Objetivos Específicos/Métodos Propostos: Na Fase I, será avaliada habilidade da integral de velocidade X tempo do fluxo aórtico [VTI(aorta)], obtida por ecocardiografia trans-torácica, de identificar corretamente indivíduos respondedores a expansão de volume (aumento do VS maior ou igual a 15% induzido por prova de carga). Este objetivo será investigado através da comparação das alterações do VTI(aorta) em reposta a expansão de volume com as alterações do volume sistólico (VS) obtidas por um método invasivo de reconhecida acurácia a precisão na avaliação da fluido-responsividade (termodiluição transpulmonar). Na Fase II a habilidade preditiva da fluido-responsividade da variação de pressão de pulso (DeltaPP) obtida em artéria periférica (método menos invasivo) será comparada com a habilidade preditiva do DeltaPP obtido em artéria central.Resultados esperados e importância da contribuição pretendida: Espera-se com a FASE I deste estudo validar o VTI(aorta) medido pela ecocardiografia trans-torácica como guia hemodinâmico na avaliação da resposta à expansão de volume em cães. Esta validação seria de especial relevância na medicina veterinária uma vez que a ecocardiografia trans-torácica, devido ao seu caráter não invasivo e por não implicar em custo adicional com consumíveis, pode ser empregada rotineiramente na avaliação da fluido-responsividade em animais atendidos na sala de emergência/UTI. Na FASE II o estudo, a definição da influência do emprego de uma artéria periférica na acurácia diagnóstica do DeltaPP para predizer a fluido-responsividade é relevante não somente para a Medicina Veterinária mas também para a Anestesiologia e Terapia Intensiva Humana, onde, com os sistemas de monitoração avançada como o PiCCO® e EV-1000®, geralmente se mensura o DeltaPP através de artéria central (cateterizada para permitir a mensuração do débito cardíaco por termodiluição transpulmonar). Por outro lado, em grande número de casos da rotina de anestesia e terapia intensiva a monitoração do DeltaPP geralmente é realizada em artéria periférica (sistemas de monitoração Dixtal e Philips). (AU)