Busca avançada
Ano de início
Entree

Melatonina e seus receptores MT1 e MT2: efeitos na apoptose, proliferação e potencial migratório de células de carcinoma ovariano (linhagem SKOV-3)

Processo: 19/00906-6
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de abril de 2019 - 31 de março de 2021
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Anatomia
Pesquisador responsável:Luiz Gustavo de Almeida Chuffa
Beneficiário:Luiz Gustavo de Almeida Chuffa
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Pesq. associados:Graziela Gorete Romagnoli ; Lucilene Delazari dos Santos ; Ramon Kaneno ; Robson Francisco Carvalho
Assunto(s):Metabolismo  Movimento celular  Neoplasias ovarianas  Apoptose  Mitocôndrias  Proliferação celular 

Resumo

O câncer de ovário (CO) é a malignidade mais comum no sistema genital feminino e representa a quinta causa de morte por câncer devido a sua progressão rápida e resistência aos tratamentos associado com baixo prognóstico. A melatonina (Mel), um neurohormônio secretado pela glândula pineal na fase de escuro, tem mostrado propriedades antitumorais em ensaios in vitro e in vivo. Evidências sugerem que a Mel, quando ligada aos seus receptores de membrana MT1 e MT2, possui um efeito oncostático em vários tipos de cânceres, incluindo o CO. A Mel parece ter uma relação especial com a mitocôndria, organela responsável pela sua síntese, pelo metabolismo energético, morte e diferenciação celular, entre outros. Portanto, o objetivo do presente estudo é avaliar a influência da terapia com melatonina sobre a via de sinalização endógena mitocondrial e a apoptose das células de carcinoma ovariano humano (SKOV-3). E ainda, verificar se os efeitos biológicos resultantes da terapia são dependentes da ativação dos receptores MT1/2 através do silenciamento de RNAs (siRNAs). Para tanto, o trabalho será composto pelos grupos experimentais: Grupo Controle e Grupo exposto a Mel (800, 1600 e 2400 µM); os grupos serão subdivididos quanto a presença dos receptores MT1/2 (grupos MT1/2+ tratados ou não com melatonina), ou ausência pelo silenciamento através do uso de siRNA (grupos MT1/2- tratados ou não com melatonina). Será realizado o teste de citotoxicidade celular através do ensaio de MTT, migração e invasão celular por insertos transwell, além do perfil geral de proteínas de adesão via ensaio multiplex. As análises do potencial de membrana mitocondrial, taxa de apoptose (AnexinaV) e ciclo celular serão realizadas por citometria de fluxo. Ainda será investigado a apoptose através da quantificação de proteínas Bcl-2, BAX, citocromo-c e caspase-3 ativa por Western Blotting. Em paralelo, serão mensurados os níveis de melatonina, lactato e glicose, e as mitocôndrias serão isoladas para análise da melatonina endógena e das enzimas envolvidas com a sua produção (AA-NAT e ASMT). Com auxílio da estratégia proteômica global por electrospray (LC/MS-MS), as proteinas e peptídeos serão quantificados e estudados. Os achados no presente estudo poderão contribuir para a discussão atual sobre o papel da melatonina no metabolismo alterado das células neoplásicas do CO. (AU)