Busca avançada
Ano de início
Entree

Participação dos receptores dopaminérgicos D1 e D2 na sensibilização comportamental imediata ao modafinil

Processo: 19/04835-6
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Artigo
Vigência: 01 de abril de 2019 - 30 de setembro de 2019
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Pesquisador responsável:Beatriz de Oliveira Monteiro
Beneficiário:Beatriz de Oliveira Monteiro
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Neurofarmacologia 

Resumo

Estudos sobre o potencial de abuso do modafinil, uma droga psicoestimulante usada no tratamento da narcolepsia, são muito controversos. Embora alguns estudos afirmem que não há potencial de abuso, evidências crescentes tem demonstrado que o modafini apresenta efeitos que são similares ao das drogas de abuso, incluindo a indução da sensibilização comportamental imediata. O modelo de sensibilização imediata é uma valorosa ferramenta para estudar as mudanças neuroplásticas que ocorrem rapidamente após a administração de uma droga, que pode levar ao abuso em humanos. Entretanto, os mecanismos envolvidos na sensibilização comportamental imediata ao modafinil são desconhecidos. O objetivo do nosso estudo foi investigar o possível envolvimento dos receptores dopaminérgicos D1 e D2 na hiperlocomoção induzida agudamento pelo modafinil e na indução e expressão da sensibilização comportamental imediata ao modafinil em camundongos suíços. O tratamento com o antagonista D1 SCH 23390 ou o antagonista D2 sulpire atenuaram a hiperlocomoção induzida pelo modafinil de maneira dependente de dose. Pre-tratamento com ambos os antagonistas antes da injeção indutora de modafinil inibiu o desenvolvimento da sensibilização comportamental imediata em resposta a injeção desafio de modafinil administrada 4 horas depois. Entretanto, apenas o SCH 23390 foi capaz de diminuir a expressão da sensibilização comportamental imediata induzida pelo modafinil. Tomados em conjunto, nosso resultados provem evidencias da participação dos receptores D1 e D2 no desenvolvimento da sensibilização comportamental imediata ao modafinil e da participação dos receptores D1 na expressão desse fenômeno. (AU)