Busca avançada
Ano de início
Entree

Detecção precoce de câncer cervical em mulheres pouco ou nunca rastreadas

Processo: 18/22017-6
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Temático
Vigência: 01 de abril de 2019 - 31 de março de 2024
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Saúde Coletiva - Medicina Preventiva
Convênio/Acordo: União Europeia (Horizonte 2020)
Pesquisador responsável:Adhemar Longatto Filho
Beneficiário:Adhemar Longatto Filho
Pesq. responsável no exterior: Olivier Degomme
Instituição no exterior: Ghent University (UGent), Bélgica
Instituição-sede: Hospital do Câncer de Barretos. Fundação Pio XII (FP). Barretos , SP, Brasil
Pesq. associados:Cristina Mendes de Oliveira ; Nathália Cristina Campanella ; Rui Manuel Vieira Reis
Bolsa(s) vinculada(s):19/25346-3 - Detecção precoce de câncer cervical em mulheres pouco ou nunca rastreadas. Proposta enviada ao H2020, BP.PD
20/00445-6 - Detecção precoce de câncer cervical em mulheres pouco ou nunca rastreadas, BP.DD
19/18120-9 - Detecção precoce de câncer cervical em mulheres pouco ou nunca rastreadas, BP.TT
Assunto(s):Infecções por Papillomavirus  Neoplasias do colo uterino  Prevenção do câncer  Diagnóstico clínico 

Resumo

Este é um estudo de intervenção prospectivo de 3 braços para avaliar a aceitação pelo usuário de um dispositivo de auto-coleta e teste de HPV como uma estratégia de rastreamento do câncer do colo do útero. O primeiro braço será o controle (prática padrão), o segundo braço será o alcance / mobilização da comunidade para a educação (as mulheres recebem informações sobre saúde sexual e câncer do colo do útero e são encaminhadas às clínicas locais para triagem) e o terceiro braço será o alcance / mobilização da comunidade para a educação (as mulheres recebem informações sobre saúde sexual e câncer do colo do útero e recebem testes e resultados de HPV no local). Este estudo usa uma abordagem participativa baseada na comunidade, na qual as mulheres de populações difíceis de alcançar se tornam pesquisadores, co-criadores e embaixadores baseados na comunidade deste estudo piloto em suas comunidades ou grupos locais. Nossa abordagem participativa também exige que os acordos de pesquisa sejam estabelecidos com os líderes (no caso de aldeias, bairros, comunidades, tribos ou clãs de difícil acesso) e / ou partes interessadas (no caso de mulheres difíceis de alcançar) grandes cidades, de grupos étnicos ou culturais específicos, etc.) em comunidades difíceis de alcançar para este estudo. Relacionamentos serão construídos com comunidades locais de difícil acesso por meio de visitas a locais, reuniões, apresentações e informações públicas sobre o projeto. Os objetivos do estudo são determinar a aceitação de uma intervenção de triagem HPV no local entre mulheres de difícil acesso; e determinar a aceitabilidade de uma intervenção de triagem de HPV no local entre mulheres de difícil acesso e seus profissionais de saúde. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Pós-doutorado em medicina preventiva com bolsa da FAPESP 
Pós-doutorado em medicina preventiva com bolsa da FAPESP