Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação pré-clínica da aplicação de laser de baixa intensidade associada à terapia com antiveneno na regeneração de reações locais induzidas pelo veneno da serpente Bothrops Jararacussu

Processo: 18/21590-4
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de abril de 2019 - 31 de março de 2021
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Pesquisador responsável:Luis Roberto de Camargo Gonçalves
Beneficiário:Luis Roberto de Camargo Gonçalves
Instituição-sede: Instituto Butantan. Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados:Diva Denelle Spadacci Morena ; Juliana Mozer Sciani
Assunto(s):Toxicologia  Laser  Inflamação  Regeneração muscular 

Resumo

No Brasil ocorre anualmente uma média de 29.000 acidentes ofídicos. Destes, os acidentes causados pelas serpentes do gênero Bothrops são os mais numerosos (86 % do total) e, juntamente com os envenenamentos causados pelas serpentes do gênero Lachesis, são os que causam reações locais, com edema de grande amplitude, hemorragias locais e sistêmicas, necrose tecidual e muscular, que muitas vezes resultam em graves sequelas debilitantes. A terapia antiveneno é altamente eficaz no tratamento dos sintomas sistêmicos desses envenenamentos, mas, devido à rápida ação das toxinas que causam as reações locais e à cinética de regeneração dessas lesões, a terapia antiveneno aplicada isoladamente não é capaz de promover uma regeneração tecidual de modo a preservar morfologia e função dos tecidos lesados. Experimentalmente, observamos que a associação de dexametasona ao tratamento com antiveneno reduziu mais rapidamente o edema inflamatório induzido por venenos botrópicos, bem como promoveu uma melhor regeneração do tecido muscular lesado por esse veneno. A aplicação de laser de baixa intensidade também é descrita como eficiente para se evitar efeitos locais de envenenamentos ofídicos e na a regeneração de tecido muscular lesado. Entretanto, os mecanismos de sua ação não são completamente conhecidos. Assim, esse projeto visa melhor compreender os mecanismos responsáveis por esse efeito benéfico do Laser na regeneração muscular, avaliando o perfil inflamatório, a expressão de fatores angiogênicos e proliferativos do tecido em regeneração, utilizando um modelo de associação do Laser de baixa intensidade à terapia antiveneno no tratamento da lesão muscular induzida pelo veneno de Bothrops jararacussu em camundongos. Também será avaliada a recuperação funcional do músculo regenerado. (AU)