Busca avançada
Ano de início
Entree

Modulação da microbiota intestinal e análise proteômica tecidual na inflamação e resistência à insulina induzidas pela obesidade: papel dos polifenóis de frutos nativos brasileiros da família das mirtáceas

Processo: 18/24477-4
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de maio de 2019 - 30 de abril de 2021
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Ciência e Tecnologia de Alimentos - Ciência de Alimentos
Pesquisador responsável:Maria Ines Genovese Rodriguez
Beneficiário:Maria Ines Genovese Rodriguez
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCF). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados: Carlos Mario Donado Pestana
Assunto(s):Diabetes mellitus tipo 2  Síndrome metabólica  Microbiota  Compostos fenólicos  Frutas  Alimentos funcionais 

Resumo

A obesidade tem atingido proporções epidêmicas nas últimas décadas e tem sido associada ao risco de resistência à insulina, hiperglicemia, inflamação sistêmica, diabetes e doenças cardiovasculares. Evidências têm mostrado que o consumo de compostos bioativos presentes nos alimentos, em especial os polifenóis, como parte de uma dieta equilibrada, pode reduzir o risco do desenvolvimento de doenças e distúrbios metabólicos associados à obesidade. A flora brasileira é caracterizada por sua ampla biodiversidade, rica em famílias vegetais com potencial terapêutico, tais como a Myrtaceae. Espécies mirtáceas incluindo jabuticaba (Plinia jaboticaba (Vell.) Berg), cambuci (Campomanesia phaea Berg.) e cagaita (Eugenia dysenterica DC) estão distribuídas pelos diferentes biomas brasileiros como Cerrado e Mata Atlântica. Estas espécies são uma fonte importante de polifenóis bioativos e estudos prévios têm relatado atividades biológicas funcionais para os compostos presentes em seus frutos. Diante do exposto, o objetivo deste projeto será aprofundar os estudos sobre os efeitos dos polifenóis destes frutos nativos brasileiros da família das mirtáceas em modelo animal de inflamação e resistência à insulina associadas à obesidade induzida por dieta rica em lipídios e sacarose, visando a elucidação dos seus mecanismos de ação. Serão estudados os efeitos dos polifenóis na modulação das populações da microbiota intestinal e será realizada a análise proteômica de tecidos especificamente selecionados, incluindo tecidos hepático, muscular e adiposo, com o intuito de identificar fatores de transcrição envolvidos na modulação anti-inflamatória e imuno-regulatória dos polifenóis na condição de inflamação. Com o objetivo de melhor compreender estes possíveis efeitos benéficos, será realizada a caracterização do perfil morfológico, metabólico e inflamatório dos tecidos citados e se estudarão os mecanismos de ação relativos à transdução do sinal das vias de sinalização de insulina e da ativação de vias inflamatórias comuns no quadro da obesidade induzida pela exposição excessiva a nutrientes. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.