Busca avançada
Ano de início
Entree

Conectividade funcional córtico-cerebelar anormal na desordem do espectro autista

Processo: 19/00151-5
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Artigo
Vigência: 01 de abril de 2019 - 30 de setembro de 2019
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Psiquiatria
Pesquisador responsável:André Fujita
Beneficiário:André Fujita
Instituição-sede: Instituto de Matemática e Estatística (IME). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Neurociência computacional 

Resumo

O córtex cerebral e o cerebelo estão em áreas espacialmente remotas e conectadas por circuitos complexos que ligam áreas primárias e associativas. Estudos anteriores revelam anormalidades no transtorno do espectro autista (TEA). No entanto, ainda não é claro se a conectividade córtico-cerebelar é diferente no transtorno. Para explorar esta questão, nós investigamos as diferenças intrínsecas na conectividade funcional córtico-cerebelar functional entre indivíduos com desenvolvimento típico e com TEA. Para este fim, usamos dados de ressonância magnética functional de 708 sujeitos em estado de repouso do consórcio ABIDE I. Nós encontramos que pessoas com TEA tem conectividade funcional diminuída entre o cerebelo e as seguintes regiões: (i) giro fusiforme direito, (ii) giro poscentral direito, (iii) giro temporal superior direito, (iv) giro temporal médio direito e (v) giro temporal médio esquerdo. Todas essas regiões estão envolvidas em muitos sistemas cognitivos que contribuem para as funções do TEA. Para o giro fusiforme direito, giro temporal superior direito, e giro temporal médio esquerdo, nós reproduzimos os resultados em uma coorte independente composta por 585 sujeitos do consórcio ABIDE II. Nossos resultados apontam para uma conectividade córtico-cerebelar consistentemente atípica em TEA. (AU)